Mercado fechado

Um único usuário pediu iFood 983 vezes na pandemia

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
hamburger with fries on wooden table
hamburger with fries on wooden table

A pandemia do novo coronavírus impulsionou o uso da internet como canal de compras, especialmente no caso dos aplicativos de entrega de comida, que ofereceram comodidade extra para quem não saiu de casa. Em vez de cozinhar, muita gente simplesmente pediu pelo app.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

O aumento se reflete no volume de pedidos feitos no iFood, segundo números divulgados pela empresa, uma das maiores do ramo, publicados pelo portal de notícias UOL.

Leia também

Esses números trazem informações curiosas sobre o comportamento dos consumidores nos meses desde março, quando começaram as medidas mais rigorosas de isolamento social e fechamento do comércio, bares e restaurantes.

Por exemplo: a empresa divulgou que um único cliente de São Paulo fez 983 pedidos pelo app em seis meses, uma média de 5,3 pedidos por dia. E ele não está sozinho. Outro cliente do Rio de Janeiro fez 879 pedidos.

Outra informação interessante é que o principal motor de aumento do app foi o café da manhã, que respondeu por aumento de 232% no volume de pedidos do aplicativo.

Mas o campeão, segundo a empresa, foi outro: o hambúrguer; e as esfihas na segunda posição.

O iFood registrou, em agosto, 44,6 milhões de pedidos em todo o país. Em novembro de 2019, foram 26,6 milhões.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube