Mercado fechará em 2 h 37 min
  • BOVESPA

    113.356,19
    +1.083,18 (+0,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.628,58
    +107,15 (+0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,95
    +1,05 (+1,35%)
     
  • OURO

    1.943,70
    +4,50 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    23.143,80
    -86,38 (-0,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,87
    +6,08 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.043,48
    +25,71 (+0,64%)
     
  • DOW JONES

    33.805,22
    +88,13 (+0,26%)
     
  • FTSE

    7.772,81
    -12,06 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    21.842,33
    -227,40 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    27.327,11
    -106,29 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.072,50
    +104,50 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5310
    -0,0160 (-0,29%)
     

Um terço dos brasileiros acha que está sendo rastreado quase o tempo todo

Um terço dos brasileiros acredita estar sendo monitorado quase o tempo todo a partir de dispositivos móveis e outras tecnologias. O temor maior dos cidadãos do nosso país é quanto a cibercriminosos, citados em 68% dos casos, enquanto as grandes empresas de tecnologia aparecem em segundo lugar, com o Facebook sendo citado em 33% dos casos.

Os resultados são de uma pesquisa da NordVPN, que fornece serviços de proteção cibernética, e indicaram alguns dos principais temores dos brasileiros no ambiente digital. De acordo com os dados, 60% têm medo de comprometimentos envolvendo suas senhas, enquanto um número semelhante, 58%, pensa o mesmo sobre as informações bancárias ou financeiras. E-mails (23%), contas em redes sociais (23%) e imagens íntimas (21%) aparecem logo na sequência.

Os entrevistados também mostraram consciência quanto aos meios usados para rastreamento pessoal, com 84% entendendo que os smartphones são a melhor forma de fazer isso, à frente de notebooks (66%), desktop (56%) e tablets (49%). Enquanto os eletrodomésticos inteligentes são citados em apenas 40% dos casos, os três grandes produtos da Meta aparecem no topo da lista de apps que mais acompanham os usuários: Facebook (67%), WhatsApp (52%) e Instagram (50%).

Apesar de criminosos e empresas de tecnologia lideraram o ranking, o estudo também demonstrou que 32% dos brasileiros se preocupam com o monitoramento governamental. A maioria dos cidadãos de nosso país acredita que a maior parte dos dados coletados são usados para sugerir conteúdos relevantes (50%), enquanto outros 44% indicam os serviços de publicidade como principal fomentado por essa prática. Ainda, 38% das pessoas acreditam que suas informações são vendidas para outras empresas por quem as coleta.

Ao mesmo tempo em que demonstram essa preocupação, também é alta a incidência de comportamentos inseguros. 47% dos entrevistados pela NordVPN afirmaram que salvam seus dados de login bancário em diferentes dispositivos ou serviços, o que aumenta a possibilidade de comprometimento, enquanto 22% sempre aceitam pedidos de coleta de cookies, com outros 26% evitando isso apenas quando a página acessada parece suspeita.

A NordVPN indica medidas de cuidado como o melhor caminho para minimizar o rastreamento e a preocupação. O uso de VPNs, claro, é indicado como forma de trazer mais segurança à conexão, principalmente em Wi-Fi públicos, e ocultar dados de localização e endereços IP dos dispositivos. Usar antivírus no computador e smartphone, além de ler com atenção termos de uso, permissões de utilização de dados e solicitações de cookies também ajuda a manter as informações sob o máximo de controle possível, tanto no uso de serviços online quanto dispositivos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: