Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,65
    +0,01 (+0,02%)
     
  • OURO

    1.844,70
    +3,60 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.514,39
    +565,49 (+2,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,19
    +7,79 (+2,08%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.477,25
    +15,00 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2375
    -0,0823 (-1,30%)
     

Um quinto dos seguidores de Bolsonaro no Twitter são fake, aponta pesquisa

Wagner Wakka

A agência de reputação Bold Lion fez um levantamento dos seguidores de cada político e candidato à presidência do pleito do ano passado para averiguar quantos deles são perfis falsos. Segundo a pesquisa, mais de um quinto dos seguidores do presidente Jair Bolsonaro foi considerado fake pela pesquisa.

O levantamento foi feito com um espaço amostral de mil seguidores escolhidos de forma sortida pelo grupo levando em conta perfis de Bolsonaro, Fernando Haddad, João Amoedo, Tiririca e Carla Zambelli.

<em>Tabela com amostrar de seguidores totais, fakes e parcela (Dados: Bold Lion )</em>
Tabela com amostrar de seguidores totais, fakes e parcela (Dados: Bold Lion )

No total, 22% dos seguidores do presidente foram assimilados pela pesquisa como falsos, seguido de Haddad com 18%; João Amoedo (17%), Tiririca (10%) e Zambelli (5%). “Nós coletamos aleatoriamente uma parcela do following de cada um e utilizamos uma ferramenta digital para identificar os bots, classificados como fakes”, afirma um dos sócios da Bold Lion, Gustavo De Amorim.

Tal ferramenta leva em conta alguns fatores para identificar se o seguidor se trata de um usuário considerado fantasma. Entre os critérios para isso estão a verificação de presença de rede e utilização de padrão de nomes. Geralmente, para os perfis considerados bots, não há publicação de tweets ou baixo número deles, além da utilização de nomes e números aleatórios para o usuário.

“Vale lembrar que os perfis privados foram descartados da análise, uma vez que é impossível verificar suas atividades e, portanto, defini-los como legítimos ou fakes”, diz Amorim.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: