Mercado fechado

Um quinto das empresas brasileiras admite ter equipes 100% orientadas por dados

·2 min de leitura

O mundo corporativo tem adotado cada vez mais o conceito data driven, isto é, decisões orientadas por análises de dados. Isso inclui o Brasil, onde vemos muitas empresas indo por essa linha. Mas ainda vai levar um tempo para pegar por completo. Segundo um estudo da YouGov a pedido da Tableau, empresa de inteligência de dados da Salesforce, só 19% dos líderes brasileiros dizem que todos os seus funcionários usam dados nas tomadas de decisão.

A pesquisa Quality Conversations entrevistou 1.977 executivos em cargos de chefia (C-level) de países da Europa, Ásia e Oceania, além do Brasil. O recorte brasileiro do levantamento contou com a participação de 224 executivos do alto escalão. Apesar de ainda não ser uma coisa totalmente assimilada nas equipes, os líderes brasileiros reconhecem bem a importância do data driven. Segundo o estudo:

  • 92% dos executivos do Brasil disseram que dados e números são importantes para conversas sobre negócios de qualidade;

  • 88% dizem que dados ajudam a reduzir incertezas e estabelecer mais confiança nas conversas sobre negócios;

  • 96% disseram que é importante que todos os departamentos de uma organização possa acessar dados que lhes beneficiem nas tomadas de decisões profissionais;

  • 60% responderam que a capacidade de entender insights de dados é importante;

  • 68% disseram que ter a mente aberta e não ter viés cognitivo são habilidades-chave.

Imagem: Reprodução/James Harrison/Unsplash
Imagem: Reprodução/James Harrison/Unsplash

A pandemia de covid tornou a análise de dados uma prioridade nas tomadas de decisão para 79% dos líderes brasileiros entrevistados. Na média global da pesquisa, apenas 55% dos executivos atribuíram a mesma relevância para o papel dos dados. Além disso, 67% dos brasileiros afirmam que seus negócios passaram a usar dados com mais frequência desde que a pandemia começou.

Os resultados percebidos pelo modelo de trabalho home office também foram positivos. Cerca de 64% dos entrevistados brasileiros disseram que as conversas se tornaram melhores e mais eficientes no período. Além disso, 70% também afirmaram que foi mais fácil reunir as pessoas para conversas sobre negócios. Apesar disso, 73% deles sofreram com a falta de momentos de descontração no escritório, como encontros informais, almoços e coffee breaks.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos