Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.248,23
    -1.199,43 (-1,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Um mês após queda, estrutura metálica continua dentro do rio Pinheiros, na zona sul de SP

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.09.2021 - RIO-PINHEIROS: A estrutura metálica que caiu dentro do rio Pinheiros, ao lado da estação de metrô Santo Amaro, na linha-5 lilás da CPTM de São Paulo, permanece no local do acidente há um mês. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.09.2021 - RIO-PINHEIROS: A estrutura metálica que caiu dentro do rio Pinheiros, ao lado da estação de metrô Santo Amaro, na linha-5 lilás da CPTM de São Paulo, permanece no local do acidente há um mês. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após um mês da queda da estrutura metálica que faria parte da nova passarela da estação Santo Amaro do metrô, a ViaMobilidade, concessionária que administra a linha 5-lilás, ainda não sabe informar quando ela será retirada do local, nem quando as obras serão retomadas.

A estrutura, que caiu sobre o rio Pinheiros no dia 17 de agosto, faz parte da obra de extensão da plataforma de embarque e desembarque que ampliaria a capacidade de passageiros no lado sul da estação Santo Amaro. Ela conecta a linha 5-lilás do metrô com a estação de mesmo nome da linha 9-esmeralda da CPTM.

A intenção da empresa é eliminar o gargalo que acontece na estação nos horários de pico. Segundo a própria concessionária, em abril de 2019, a estação chegou a receber 110 mil passageiros em apenas um dia.

Procurada, a ViaMobilidade afirma que "contratou uma empresa especializada para a remoção da estrutura metálica que está no rio Pinheiros e que aguarda o resultado dos estudos que estão sendo feitos para começar a realizar a operação".

As obras de melhoria do espaço foram iniciadas em 25 de janeiro de 2020 e, até o dia da queda, a previsão da concessionária é de que fosse entregue em janeiro de 2022.

Agora, "a definição do novo cronograma da obra, tanto para a retomada quanto para sua conclusão, só será possível após o término da etapa de retirada da estrutura que caiu", afirma a ViaMobilidade em nota.

Sobre as possíveis causas do ocorrido, a concessionária diz que a apuração segue sendo realizada.

O acidente não deixou nenhuma vítima gravemente ferida. Segundo o que informou o Corpo de Bombeiros na época, dois operários caíram nas margens do rio, mas sofreram apenas ferimentos leves e logo foram liberados.

Como a estrutura ficou metade no rio Pinheiro e metade na margem, os dois lados da ciclovia foram interditados no dia da queda. No entanto, foi feito um desvio do lado da estação Santo Amaro do metrô e a passagem já está liberada.

Do lado da estação da CPTM, a ciclovia segue interditada e sem previsão de liberação.

Planos iniciais A intenção da concessionária ViaMobilidade é construir novas plataformas que terão, de um lado, 200 metros de extensão e, do outro, 175. Elas serão sustentadas por treliças metálicas gigantes em formato de "V" sobre o Rio Pinheiros, com um vão livre de 110 metros de uma margem a outra.

No total, serão 4.000 m² de área construída, que ainda contarão com novas escadas rolantes e elevadores, além de um restaurante com vista panorâmica.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos