Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.700,20
    -151,68 (-0,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Um em cada três menores vive na pobreza na Costa Rica, aponta Unicef

·1 minuto de leitura
Um em cada três menores vive na pobreza na Costa Rica, diz Unicef (AFP/Yasuyoshi CHIBA)

Um em cada três menores de 18 anos vive na pobreza na Costa Rica, informou o Unicef nesta quinta-feira (9), quando se comemora o Dia da Criança e do Adolescente no país da América Central.

Segundo a entidade, que se baseou na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Enaho), os dados absolutos indicam que 448 mil menores (32% de 1,4 milhão) crescem em famílias pobres, e o número deve aumentar nos próximos meses, impulsionado por limitações na educação e o desemprego devido à pandemia.

Essas variáveis "podem ser uma condição problemática para essas gerações em sua futura inserção no mercado de trabalho", acrescentou a entidade em nota.

Segundo dados oficiais do Ministério da Educação Pública (MPE), em 2020, do 1,2 milhão de alunos matriculados nos ensinos fundamental e médio, 63% apresentavam problemas de inclusão digital e a consequente defasagem na aprendizagem. O fenômeno foi classificado pelo Unicef como “apagão educacional”.

O Instituto Nacional de Estatística e Censos (Inec) indicou em agosto que a taxa geral de desemprego (que inclui trabalhadores com mais de 15 anos) foi de 18,1%, abaixo do segundo trimestre de 2020 (24%), mas acima de antes da pandemia, em março de 2020 (12,5%).

Para amenizar alguns destes efeitos, ao contrário de 2020, o governo decidiu manter as aulas presenciais em 2021 e reativar a economia e a reintegração de postos de trabalho, apesar do aumento progressivo dos casos de covid-19.

dgj/lm/jc/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos