Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,27
    +0,45 (+0,54%)
     
  • OURO

    1.817,30
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    43.188,51
    -140,75 (-0,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.037,76
    +12,03 (+1,17%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.383,32
    -46,48 (-0,19%)
     
  • NIKKEI

    28.124,28
    -364,82 (-1,28%)
     
  • NASDAQ

    15.616,75
    +21,00 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3180
    -0,0148 (-0,23%)
     

Um dos suspeitos de assassinar jornalista saudita Khashoggi é preso na França

·1 min de leitura

Por Alain Acco

PARIS (Reuters) - Um dos suspeitos do assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi preso no aeroporto de Roissy, perto de Paris, nesta terça-feira quando estava prestes a embarcar em um voo para Riad, disse uma fonte da polícia à Reuters.

A prisão ocorreu poucos dias depois de o presidente francês, Emmanuel Macron, conversar pessoalmente com o governante de fato da Arábia Saudita, o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, tornando-se o primeiro líder ocidental importante a visitar o reinado desde o assassinato.

Khashoggi, um crítico do príncipe Mohammed, foi visto pela última vez entrando no consulado saudita em Istambul no dia 2 de outubro de 2018. Autoridades turcas acreditam que após ser morto seu corpo foi desmembrado e retirado do local. Seus restos mortais não foram encontrados.

A fonte identificou o detido como Khaled Aedh Al-Otaibi, ex-membro da Guarda Real da Arábia Saudita.

Ele estava em uma lista de procurados da França e foi preso com base em um mandado emitido pela Turquia em 2019, disse a fonte, acrescentando que procuradores franceses agora começarão os procedimentos para uma possível extradição para a Turquia.

O Ministério do Interior francês não quis comentar.

Um relatório de inteligência dos Estados Unidos divulgado em março disse que o príncipe Mohammed aprovou a operação para matar ou capturar Khashoggi. O governo saudita nega qualquer envolvimento do príncipe herdeiro e rejeita as conclusões do relatório.

(Por Alain Acco, Tassilo Hummel, GV De Clercq)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos