Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.429,56
    -920,20 (-1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.282,75
    -226,75 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Um dos remédios mais comuns será testado contra o pior tipo de câncer de mama

·1 minuto de leitura

Cientistas estão planejando usar um remédio antigo, acessível e barato para um possível tratamento do câncer de mama: a Aspirina. O estudo clínico, segundo os pesquisadores, é o primeiro a testar o medicamento contra os tumores mais agressivos e mais sensíveis à imunoterapia.

Anne Armstrong, da fundação Christie NHS em Manchester e líder do estudo, conta que a droga avelumabe, contra o câncer, será testada com e sem Aspirina antes das pacientes receberem o tratamento de quimioterapia ou passarem por cirurgias.

Caso os resultados sejam bem-sucedidos, será possível tratar o câncer de mama triplo negativo quando classificado como incurável, que acontece quando as células cancerígenas deixam de se espalhar apenas nas mamas para atingir outras partes do corpo. O tipo de câncer é o menos comum, mas o mais agressivo, atingindo principalmente mulheres mais jovens e mulheres negras.

<em>Imagem: Reprodução/yanalya/Freepik</em>
Imagem: Reprodução/yanalya/Freepik

Por que a Aspirina?

Armstrong conta que sua pesquisa anterior sugeriu que a Aspirina pode tornar determinados tipos de imunoterapia mais eficazes, evitando que o câncer produza substâncias que podem enfraquecer a resposta imunológica do organismo. A pesquisadora explica que remédios anti-inflamatórios, como a Aspirina, podem aumentar a eficácia da imunoterapia quando administrados em conjunto.

"Experimentar o uso de uma droga como a Aspirina é empolgante porque ela está amplamente disponível e é barata de produzir", conta Armstrong. "Esperamos que o nosso estudo mostre que, quando combinada com a imunoterapia, a Aspirina aumente seus efeitos e possa fornecer uma forma mais segura de tratar o câncer de mama", complementa a cientista.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos