Mercado fechará em 6 h 30 min
  • BOVESPA

    125.490,34
    +878,31 (+0,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.910,53
    +12,74 (+0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,05
    +0,40 (+0,56%)
     
  • OURO

    1.796,30
    -3,50 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    39.762,41
    +1.332,55 (+3,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    932,28
    +56,05 (+6,40%)
     
  • S&P500

    4.409,17
    +7,71 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.104,62
    +46,10 (+0,13%)
     
  • FTSE

    7.006,73
    +10,65 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.011,75
    +64,00 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0789
    -0,0295 (-0,48%)
     

Um cubano em cada cinco recebeu ao menos uma dose de vacina nacional

·2 minuto de leitura
Uma enfermeira se prepara para aplicar a vacina cubana anticovid-19 Abdala, em 30 de maio de 2020, em Cienfuegos, Cuba

Um em cada cinco cubanos, ou seja, 22% da população, já recebeu uma dose de uma das vacinas desenvolvidas na ilha contra o novo coronavírus, mesmo antes da autorização de uso de emergência - informaram cientistas do país na quinta-feira (25).

"No dia de hoje, em torno de 22% da população recebeu ao menos a primeira dose", disse o presidente do grupo farmacêutico estatal BioCubaFarma, Eduardo Martínez, em entrevista coletiva.

Ele informou também que "diminuiu, significativamente, a incidência" da doença nos bairros onde as pessoas foram vacinadas.

Diante de um aumento do número de casos, o país começou em maio a vacinação nas zonas mais afetadas pela pandemia.

Embora ainda sejam fármacos candidatos à vacina, esta campanha de vacinação é parte de um protocolo médico conhecido como intervenção de saúde pública, que permite usar imunizantes em última fase de desenvolvimento, como é o caso.

Com ampla experiência neste campo, Cuba trabalha em cinco candidatos vacinais, dois deles na fase final de testes clínicos: Abdala e Soberana 2.

No caso da Abdala, os desenvolvedores apresentaram à autoridade reguladora da saúde "a solicitação para contar com a autorização de uso de emergência", afirmou Eduardo Martínez, destacando que espera uma resposta positiva "nos próximos dias, (ou) semanas".

Na segunda-feira, a BioCubaFarma anunciou que a Abdala tem uma eficácia de 92,28% contra o risco da doença, com as três doses da vacina. O anúncio se deu dois dias depois da divulgação sobre os números de eficácia parcial da Soberana 2, de 62%, com duas das três doses.

Em relação à Soberana 2, "estamos estimando que os resultados (com as três doses) devem estar entre 85% e 95% de eficácia. É o que esperamos", disse, por sua vez, o diretor do instituto de vacinas Finlay, Vicente Vérez, insistindo em que é apenas um prognóstico.

"Com os dados finais, já apresentaremos a solicitação de uso de emergência", acrescentou.

Cuba pretende ter toda sua população vacinada até o fim do ano

"Achamos que Cuba vai ser o primeiro país que vai poder conseguir vacinar toda sua população com vacina própria", completou Eduardo Martínez.

O país também planeja vender sua fórmula para o exterior. O governo venezuelano anunciou ontem um "contrato para o fornecimento de 12 milhões de vacinas Abdala" nos próximos meses.

Vietnã, Irã e Argentina manifestaram interesse, enquanto outros países pediram mais informações ao governo cubano, relatam cientistas da ilha.

ka/lp/cb/mps/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos