Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.728,18
    -1.452,71 (-3,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Pague Menos compra Extrafarma por R$700 milhões

·2 minuto de leitura
.

Por Carolina Mandl

SÃO PAULO (Reuters) - A rede de drogarias Pague Menos acertou a compra da rival Extrafarma da holding Ultrapar por 700 milhões de reais, segundo comunicados divulgados nesta terça-feira.

A Reuters havia noticiado mais cedo nesta terça-feira sobre o negócio, citando fontes familiarizadas com o assunto.

O negócio tornará a Pague Menos a segunda maior varejista de drogarias do Brasil, atrás apenas da Raia Drogasil. Atualmente a varejista é a terceira colocada.

As ações da Pague Menos valorizaram-se quase 10% no dia, enquanto a Ultrapar, que atua principalmente na distribuição de combustíveis, recuou 1,2%.

A compra da Extrafarma vai aumentar em mais de um terço o número de lojas da Pague Menos, para 1.503, e reforçar sua presença nas regiões Norte e Nordeste do Brasil.

"Este negócio antecipa nossa estratégia de abertura de lojas em três anos", disse o vice-presidente financeiro Luiz Novais, em entrevista. Esta é a primeira aquisição feita pela Pague Menos desde que estreou na bolsa de valores em agosto.

Novais disse que a Pague Menos continuará a abrir novas lojas, mas, depois da aquisição, a maioria delas estará localizada nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.

A Pague Menos, que tem como acionista a gestora de private equity General Atlantic, pagará 300 milhões de reais pela fatia da Ultrapar na aprovação regulatória do negócio. O restante será pago nos próximos dois anos em duas parcelas iguais. A cifra que a Pague Menos tem a pagar pela Extrafarma é de cerca de 600 milhões, equivalente ao valor da companhia em dívida e caixa.

O negócio deve criar sinergias entre 150 milhões e 250 milhões de reais ao longo de três anos para o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da Pague Menos, principalmente devido ao aumento das vendas. A empresa disso que 80% disso deve vir nos primeiros dois anos.

Em nota aos clientes, analistas do Bradesco BBI afirmam que a Pague Menos está oferecendo o equivalente a cerca de 1,5 milhão de reais por loja da Extrafarma, em torno do preço de abertura de uma nova loja. Mas, para a Pague Menos, a compra funciona como um atalho para seus planos de expansão, pois uma loja em funcionamento já gera receita.

Ainda assim, o Bradesco BBI disse que a Pague Menos pode ser forçada a fechar algumas lojas devido a alguma sobreposição.

A Ultrapar decidiu desinvestir a Extrafarma como parte de uma reorganização do portfólio para se concentrar no setor de óleo e gás. O grupo negocia em exclusividade com a Petrobras para comprar a refinaria Refap.

(Reportagem adicional de Alberto Alerigi Jr.)