Mercado fechado

Último rinoceronte de Sumatra da Malásia morre de câncer

Com a morte de Iman, o animal está extinto na Malásia (Foto: Sabah Deputy Chief Minister’s Office via AP)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Só restam cerca de 80 animais da espécie no mundo

  • A fêmea Iman tinha 25 anos de idade

O último espécime de rinoceronte de Sumatra que vivia na Malásia morreu no último sábado (23) em decorrência de um câncer. A fêmea Iman tinha cerca de 25 anos de idade e vivia em uma reserva natural na ilha de Bornéu.

Augustine Tugga, diretor do Departamento de Vida Selvagem do país, disse à agência de notícias AFP que Iman começou a sentir fortes dores por conta da pressão dos tumores em sua bexiga. Tam, o último macho da espécie na Malásia, morreu na mesma reserva em maio deste ano.

"Acredito que podemos confirmar que o rinoceronte de Sumatra está extinto na Malásia", lamentou o diretor Tugga em entrevista.

Leia também

A espécie conhecida como rinoceronte de Sumatra (Dicerorhinus sumatrensis) é a menor dessa família de animais: pesa entre 600 e 800kg. Para comparação, o rinoceronte branco pode ultrapassar as três toneladas.

O rinoceronte de Sumatra é nativo de uma região que cobre desde o leste da Índia até a Malásia. Hoje, estima-se que existem apenas 80 espécimes vivos no mundo – e todos eles vivem na Indonésia.

O diretor executivo da Aliança de Bornéu para os Rinocerontes, John Payne, afirma que três fatores causaram a diminuição na população mundial dessa espécie: as mudanças climáticas causadas pelo homem, a crescente escassez de vegetação e a caça motivada pela medicina tradicional chinesa. A organização lamentou a morte de Iman em uma postagem no Facebook:

Querida Iman,

Você é a quinta rinoceronte de Sumatra que o mundo perde, e a última na Malásia. Você tinha a alma mais doce, e trouxe tanta felicidade e alegria a todos nós.

Estamos sofrendo muito, mas estamos gratos que você não esteja mais sentindo dor.

Sejamos tão fortes quanto você na luta urgente em defesa da sua espécie. Sejamos tão corajosos quanto você, que nunca desistia.

Descanse em paz, querida.”