Mercado abrirá em 8 hs
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,26
    -0,71 (-0,99%)
     
  • OURO

    1.748,80
    -2,60 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    45.660,51
    -2.196,90 (-4,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.142,32
    -83,21 (-6,79%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    23.955,18
    -965,58 (-3,87%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.240,00
    -86,00 (-0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1893
    -0,0101 (-0,16%)
     

UFRGS deve enviar pedido à Justiça para estudo com cannabis apreendida pela PF

·2 minuto de leitura

Para o estudo da cannabis medicinal, um dos grandes desafios é a obtenção da planta. Isso porque existem regras bastante rígidas para este tipo de pesquisa e, na maioria dos casos, precisam ser judicializadas, já que o uso científico da erva não é regularizado no Brasil — já existe o PL 399/15 sobre o tema, mas ainda está em tramitação. Nesse cenário, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) planeja uma nova abordagem.

Nas próximas semanas, a UFRGS deve encaminhar um pedido para a Justiça Federal, no qual solicita autorização para um projeto-piloto: a extração de canabidiol (CBD) — uma das substâncias presentes na cannabis, ou seja, um canabinoide — de cargas de maconha apreendidas pela Polícia Federal (PF).

Universidade planeja estudar a cannabis a partir de cargas apreendidas pela Polícia Federal (Imagem: Reprodução/Ckstockphoto/Envato Elements)
Universidade planeja estudar a cannabis a partir de cargas apreendidas pela Polícia Federal (Imagem: Reprodução/Ckstockphoto/Envato Elements)

Vale lembrar que o CBD não apresenta nenhum efeito psicoativo e é indicado para o tratamento de algumas doenças, como epilepsia, autismo e dores crônicas. Hoje, a compra desses compostos só pode ser feita com receitas especiais e após o paciente tentar outros tratamentos considerados padrões.

Entenda o plano da universidade em aproveitar a droga apreendida para a ciência

Em agosto, a UFRGS enviou uma equipe de representantes para o Ministério da Saúde, em Brasília. O contato inicial serviu para apresentar o projeto que envolve a extração de CBD da droga recolhida pela PF de traficantes.

De acordo com o pró-reitor de Inovação e Relações Institucionais, Geraldo Pereira Jotz, a solicitação será de apenas 5 kg de cannabis, que deve ser feito através da Procuradoria-Geral da universidade. "Esse processo terá toda a orientação e acompanhamento da PF. E a partir daí vamos fazer os testes, descobrir quanto canabidiol podemos extrair e de qual qualidade", explica Jotz.

Com os resultados dessa primeira extração, os dados deverão ser enviados para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, então, poderá haver autorização (ou não) para o projeto que investigará os efeitos da cannabis medicinal por pesquisadores brasileiros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos