Mercado fechado

Derrotas em São Paulo garantem 2019 negativo do Brasil no UFC

Ronaldo 'Jacaré': derrota e vaias em SP (Alexandre Schneider/Zuffa LLC/Getty Images)

Os resultados abaixo da média no UFC de São Paulo foram um reflexo do ano dos brasileiros na maior organização de MMA do planeta.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

Capitaneado por Ronaldo “Jacaré” e Maurício “Shogun”, o “time brasileiro” bateu apenas três dos sete estrangeiros no evento do último sábado no Ginásio do Ibirapuera — Charles “do Bronx”, Ricardo “Carcacinha” e Francisco “Massaranduba” foram os únicos vitoriosos, enquanto “Shogun” empatou com Paul Craig. O placar segue a tendência ditada no evento anterior, em maio, no Rio de Janeiro, quando brasileiros perderam sete de 10 disputas contra gringos.

Leia também:

As três visitas do UFC não foram suficientes para equilibrar a balança a favor do Brasil em 2019. Ao contrário de anos anteriores, quando o país teve saldo positivo em território nacional (venceu 27 de 36 confrontos em 2018, e 21 de 35 em 2017, por exemplo), atletas brasileiros só superaram 12 dos 25 estrangeiros. A única noite positiva aconteceu em Fortaleza, em fevereiro, quando o placar terminou 6x3 a favor do país.

Levando em consideração os 40 eventos já realizados este ano, o Brasil acumula 76 derrotas em 140 combates. Mesmo em caso de vitória nos oito confrontos com estrangeiros que ainda acontecerão até o fim do ano o país não chegará a 48% de aproveitamento geral, caindo em relação aos anos anteriores (53% em 2018, e 58.7% em 2017).

A derrota de “Jacaré” para Blachowicz, em São Paulo, derrubou para apenas 33,3% o aproveitamento em lutas principais do UFC, uma queda drástica em relação a 2018, quando venceram oito de 13.

Os oito duelos “Brasil contra o mundo” que restam em 2019 incluem a brasileira Amanda Nunes, única detentora de cinturão da organização na atualidade e superfavorita contra Germaine de Randamie no UFC 245, dia 14 de dezembro. Como ela possui dois títulos do UFC na atualidade, ela se manterá na lista de campeões mesmo em caso de derrota.

A “Leoa” tem, alias, a chance de empatar o placar em disputas de título. Ela já contribuiu com um nocaute sobre Holly Holm este ano, enquanto Jéssica “Bate Estaca” nocauteou Rose Namajunas, em maio, antes de cair diante de Weili Zhang. Entre os homens, Marlon Moraes e Thiago “Marreta” foram superados por Henry Cejudo e Jon Jones.

As três edições restantes do UFC no calendário 2019 acontecem em Washington (EUA), Las Vegas (EUA) e Busan (Coréia do Sul). Os atletas que representam o país contra estrangeiros são Thiago “Pitbull”, Marina Rodriguez, Amanda Nunes, Ketlen Vieira, Viviane Araújo, Alexandre Pantoja, Raoni Barcelos e Amanda Lemos.

Veja mais de Guilherme Cruz no Yahoo Esportes

Siga o Yahoo Esportes

Twitter |Flipboard |Facebook |Spotify |iTunes |Playerhunter