Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    55.164,79
    +778,89 (+1,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Uefa perderia R$ 20 bilhões se Fifa lançar a Copas do Mundo bienais

·1 min de leitura

A Uefa, órgão máxido do futebol europeu, poderá perder cerca de três bilhões de libras (£ 2,6 bilhões), ou cerca de R$ 20 bilhões, se a Copa do Mundo for realizada a cada dois anos. Essa é a conclusão de um estudo independente contratado pela entidade, em setembro. A informação foi publicada, primeiramente, pelo francês Le Monde, e reproduzida pelo britânico The Independent.

A proposta, encabeçada pelo ex-técnico do Arsenal, Arsene Wenger, agora chefe de desenvolvimento do futebol global da Fifa, remodelariam o calendário do futebol internacional.

Os planos da Fifa incluem um torneio masculino todo mês de junho, períodos de descanso obrigatórios de 25 dias para os jogadores após os torneios e redução do número de partidas de qualificação e de pausas internacionais durante a temporada.

Fechar a lacuna entre as Copas do Mundo de quatro para dois anos, no entanto, encontrou oposição generalizada, inclusive do Comitê Olímpico Internacional (COI).

A Uefa disse que se posicionaria contra a proposta “até que o bom senso prevaleça e que ela seja descartada”.

As conclusões do estudo, conduzido pela Oliver & Ohlbaum Associates, com sede em Londres, foram apresentadas às 55 associações nacionais por videoconferência na última terça-feira. E foi destacado que haveria perda de cerca de 3 bilhões de euros (£ 2,6 bilhões) ao longo de quatro caso o novo calendário da Fifa fosse introduzido.

A mudança na programação faria com que os torneios das confederações, como o Campeonato Europeu e a Copa América, também acontecessem a cada dois anos, com partidas de qualificação condensadas em uma janela ou duas, reduzindo assim o número de pausas internacionais e viagens relacionadas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos