Mercado abrirá em 3 h 4 min
  • BOVESPA

    115.882,30
    -581,70 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.262,01
    -791,59 (-1,76%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,39
    -0,46 (-0,87%)
     
  • OURO

    1.839,40
    -9,50 (-0,51%)
     
  • BTC-USD

    31.204,71
    -637,82 (-2,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    629,34
    +1,68 (+0,27%)
     
  • S&P500

    3.750,77
    -98,85 (-2,57%)
     
  • DOW JONES

    30.303,17
    -633,83 (-2,05%)
     
  • FTSE

    6.472,26
    -95,11 (-1,45%)
     
  • HANG SENG

    28.550,77
    -746,76 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.197,42
    -437,79 (-1,53%)
     
  • NASDAQ

    12.963,00
    -142,50 (-1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5480
    -0,0057 (-0,09%)
     

UE quer aprovar vacina para distribuição antes do Natal: Fontes

Alberto Nardelli, Naomi Kresge e Jonathan Stearns
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Autoridades europeias buscam um cronograma de aprovação mais rápido para a vacina contra a Covid-19 da Pfizer e BioNTech, de acordo com pessoas a par do plano, o que poderia permitir a distribuição no continente antes do Natal.

Se a vacina receber o sinal verde de um comitê de supervisão de medicamentos na segunda-feira, a Comissão Europeia planeja aprovar a decisão no mesmo dia, disseram duas pessoas. Isso permitiria enviar as primeiras doses aos centros de vacinação já na quarta-feira, disse uma das pessoas.

A UE busca acelerar o processo à medida que líderes dos países membros tentam explicar aos residentes por que ainda estão esperando pelas vacinas que já são administradas nos EUA e no Reino Unido - um ponto polêmico, visto que a vacina Pfizer-BioNTech teve origem na Alemanha. Na quarta-feira, a agência europeia de medicamentos disse que a reunião do comitê consultivo, originalmente planejada para 29 de dezembro, aconteceria na segunda-feira.

A aprovação dependerá do momento do anúncio da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) e da necessidade de a avaliação ser vista como independente de interferência política, disse uma autoridade da UE. Ainda assim, o melhor cenário seria comprimir três níveis de burocracia da UE em apenas um dia: revisão pelo painel de medicamentos da EMA, aceitação da recomendação do painel pela EMA e, finalmente, o selo de aprovação da Comissão Europeia.

Dois dias

Somente após a aprovação final os primeiros lotes da vacina podem ser enviados. A Comissão sinalizou que daria luz verde para a distribuição oficial da vacina Pfizer-BioNTech até 23 de dezembro.

“Assim que a EMA adotar uma recomendação positiva, a Comissão tomará uma decisão autorizando a vacina no mercado dentro de dois dias”, disse na quarta-feira Stefan de Keersmaecker, porta-voz de política de saúde da Comissão Europeia, o braço executivo da UE em Bruxelas. Uma porta-voz da EMA não quis dar mais detalhes.

Ao contrário dos EUA e do Reino Unido, que concederam autorizações de emergência, a EMA revisa a vacina para uma autorização de comercialização condicional. Esse processo requer um nível de evidência mais alto, disse a diretoria-geral de saúde da Comissão nesta semana.

Debate sobre prazo

O debate sobre o momento da aprovação foi longo e, às vezes, acalorado durante uma cúpula da UE na semana passada. Vários líderes queriam saber por que o processo de aprovação estava demorando tanto em comparação com o Reino Unido, de acordo com três autoridades da UE a par da discussão. Segundo uma das explicações dadas, vários especialistas nacionais demoraram em enviar suas avaliações à EMA, disseram as autoridades. Nenhum país específico foi citado.

O processo europeu prevê o envio de milhões de doses para todo o continente, onde os países fazem seus próprios planos de distribuição. A UE encomendou 300 milhões de doses de vacinas em nome dos estados membros. Também assinou contratos de fornecimento com outras candidatas, incluindo a Moderna, cujo vacina será analisada por um painel regulador dos EUA na quinta-feira.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.