Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.132,20 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,62 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -0,32 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    36.560,25
    +1.559,59 (+4,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +76,96 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,12 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -43,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

UE quer ajudar a aumentar produção de vacinas contra Covid-19, diz comissária

·1 minuto de leitura
(Dez/2020) Enfermeira prepara vacina contra a Covid-19 em hospital de Roma

A União Europeia reconheceu neste sábado a "insuficiência mundial" na capacidade de produção de vacinas contra a Covid-19 e está "pronta para ajudar" a aumentá-la, declarou a comissária europeia de Saúde, Stella Kyriakides, citada pela agência alemã DPA.

O início das campanhas de vacinação na Europa continental gerou críticas por sua lentidão, principalmente na França, e pelo fato de funcionários da área de saúde não estarem sendo priorizados, como na Alemanha. "Essas dificuldades não se devem ao volume de pedidos, e sim à insuficiência em escala mundial na capacidade de produção, como é o caso da BioNTech", explicou Stella.

A campanha de vacinação começou no último fim de semana nos 27 países da UE, depois que autoridades de saúde europeias deram autorização para a vacina Pfizer-BioNTech. "A UE aportou desde muito cedo financiamento à BioNTech, cerca de 100 milhões de euros para desenvolver sua capacidade de produção. A situação irá melhorar aos poucos. Estamos novamente prontos para ajudar a aumentar a capacidade de produção", assinalou a comissária.

A empresa alemã irá inaugurar uma nova unidade de produção em Marburgo, Alemanha, que deverá permitir a fabricação de cerca de 250 milhões de doses suplementares a partir do primeiro semestre de 2021, informou ontem à revista "Der Spiegel", Ugur Sahin, diretor do laboratório.

jug/eb/age/lb