Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    49.948,62
    +486,72 (+0,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

UE mira compra conjunta de tratamentos em batalha contra Covid

Alberto Nardelli e Viktoria Dendrinou
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Comissão Europeia irá propor a compra conjunta de tratamentos para a Covid-19 com o objetivo de garantir a oferta de medicamentos potencialmente importantes após a pior fase da pandemia, segundo um documento visto pela Bloomberg.

O plano do braço executivo da União Europeia define a necessidade de uma estrutura comum para o desenvolvimento e uso de terapêuticas para pacientes com coronavírus e visa evitar políticas muito diversas no bloco de 27 países. A comissão deve adotar a proposta na quarta-feira e divulgá-la na quinta.

Pfizer, Merck & Co., Novartis e Roche estão entre as empresas que investem em possíveis tratamentos para a Covid, de pílulas antivirais a vacinas. A aposta é que, sozinhos, os imunizantes não serão suficientes para evitar a propagação da doença. Com isso, além de vacinar regularmente nos próximos anos, também seriam necessários medicamentos para tratar os doentes.

Garantir o fornecimento de tais tratamentos limitaria a necessidade de hospitalização, poderia acelerar o tempo de recuperação e, por fim, salvar vidas no bloco, afirma a comissão na minuta do plano vista pela Bloomberg. O objetivo é fornecer três novas terapêuticas disponíveis até outubro de 2021 e, possivelmente, mais duas até o fim do ano. De momento, o Remdesivir é o único tratamento para a Covid-19 autorizado na UE.

A medida visa complementar a estratégia da UE para as vacinas contra a Covid-19 no médio prazo e destaca como o bloco pretende lidar com a doença mesmo depois que um segmento significativo da população estiver totalmente vacinado. Como a imunização ganhando velocidade no bloco, a comissão também busca finalizar um contrato com a Pfizer-BioNTech para a entrega de um grande volume da vacina desenvolvida pela parceria.

O acordo deve fornecer 1,8 bilhão de doses adicionais contra a Covid até 2023, com grande parte da produção na UE. As vacinas incluiriam principalmente doses de reforço e para crianças, disseram as autoridades.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.