Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.364,77
    +2.333,13 (+5,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

UE investe milhões em sistema que quebra criptografias usadas por criminosos

·1 minuto de leitura

A União Europeia anunciou na última segunda-feira (5) um investimento de 4 milhões de euros (R$ 24 milhões na cotação atual) para melhorar a plataforma Cerberus. Bastante usada por forças de segurança cibernéticas que atuam dentro do bloco, ela é usada para descobrir senhas e quebrar a criptografia de dispositivos protegidos.

O nome da tecnologia é um acrônimo para o termo Resposta à Exploração Infantil ao Vencer a Criptografia e a Pesquisa para Desproteger Sistemas, e ela tem como objetivo garantir acesso a aparelhos usados por criminosos durante suas ações. O sistema foi construído originalmente em 2019 e é formado por diversos computadores de alto desempenho destinados a quebrar a proteção de dispositivos apreendidos durante investigações policiais.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo fontes consultadas pelo site The Record, o valor milionário vai ser direcionado a um projeto conhecido como Overclock. A intenção dos responsáveis pelo Cerberus é criar e aplicar novos algoritmos que se mostrem mais eficientes em descobrir senhas e quebrar proteções de criptografia.

O projeto Overclock está sendo liderado pelo Instituto de Pesquisa Forense da Guarda Francesa (IRCGN) e pelo Instituto Forense da Holanda (NFI), que também trabalharam juntos na criação do sistema. O projeto também conta com auxílio do Serviço Nacional de Investigação Criminal da Noruega (NCIS), da Polícia Federal Criminal da Alemanha (BKA) e da empresa de segurança cibernética Synacktiv.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos