Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.399,49
    -6,02 (-0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

UE destinará € 9 bilhões à Ucrânia para 'liquidez imediata'

Os líderes da União Europeia (UE) reunidos em Bruxelas concordaram em destinar à Ucrânia 9 bilhões de euros (9,63 bilhões de dólares) para auxiliar a economia do país, alvo de uma invasão russa, anunciou nesta segunda-feira (30) o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

O Conselho "continuará ajudando a Ucrânia em suas necessidades imediatas de liquidez", tuitou Michel durante a cúpula, ressaltando um "apoio firme e concreto à reconstrução da Ucrânia".

O governo ucraniano estima suas necessidades mais urgentes em cerca de 5 bilhões de euros ao mês. Os financiamentos europeus serão realizados mediante empréstimos com taxas de juros especiais, informou uma fonte europeia.

Durante o dia, os líderes da UE também concordaram em implementar um embargo a uma parte considerável de suas importações de petróleo procedente da Rússia.

Segundo Michel, o acordo afetará "mais de dois terços" das compras europeias de petróleo russo como parte do sexto pacote de sanções da UE contra a Rússia.

Fontes diplomáticas anteciparam que o acordo se concentra no embargo às importações de petróleo russo que chegam por via marítima e exclui por enquanto as entregas mediante oleodutos.

O plano foi a saída encontrada para superar a oposição da Hungria a um embargo generalizado ao petróleo russo, já que o país - dependente do petróleo bruto que recebe da Rússia por oleoduto - afirma que tal medida seria uma ameaça à sua segurança energética.

Segundo dirigentes europeus reunidos em Bruxelas, além do controverso embargo petroleiro, o sexto pacote de sanções da UE contra a Rússia inclui a retirada do principal banco russo do sistema interbancário Swift e a inclusão de novos nomes na lista de funcionários russos sancionados.

"Este pacote de sanções inclui medidas contundentes como a retirada do maior banco russo, Sberbank, do SWIFT", declarou Charles Michel, presidente do Conselho Europeu. Até agora, sete bancos russos foram excluídos do SWIFT, uma plataforma que permite fazer transações, como transferências de recursos entre bancos.

dc/del/imm/mas/cjc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos