Mercado fechado

UE dá primeiro passo para incluir insetos em cardápios

Agnieszka de Sousa
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Insetos estão mais perto dos pratos europeus.

A larva da farinha seca de besouros é segura para o consumo humano como larva inteira e como aditivo em pó, disse na quarta-feira o órgão de vigilância alimentar da União Europeia sobre um pedido do criador de insetos francês EAP Group SAS - Micronutris, agora conhecido como Agronutris.

O parecer da Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA, na sigla em inglês) é um primeiro passo antes que as autoridades considerem se aprovam a venda de salgadinhos, barras de proteína, biscoitos e outros alimentos que contenham insetos como ingredientes.

A decisão dá impulso para o negócio de criação de insetos, que a empresa de pesquisa Arcluster prevê que multiplicará por dez, ultrapassando US$ 4,1 bilhões globalmente até 2025. Os insetos emergem como fonte mais sustentável de proteína graças ao seu menor impacto ambiental e alto valor nutricional, atraindo financiamento recorde de capital de risco e atenção de gigantes como Cargill e Nestlé.

“É um marco claro e importante para todo o setor”, disse Antoine Hubert, cofundador da francesa Ynsect SAS, que cria larvas de farinha e planeja se expandir em nutrição esportiva. “Haverá um efeito bola de neve. Isso aumentará o potencial para investir em mais capacidade e atrair mais financiamento para apoiar o crescimento.”

Esta é a primeira avaliação do risco de insetos como alimentos pela EFSA com sede em Parma, Itália, que tem outros 14 pedidos de autorização pendentes para insetos - de grilos a gafanhotos. A agência também disse que as reações alérgicas às larvas da farinha são possíveis, por isso mais pesquisas são necessárias.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.