Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    62.326,39
    +800,18 (+1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

UE aprova o uso da vacina de dose única da Johnson & Johnson

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

A União Europeia autorizou, nesta quinta-feira (11), o uso da vacina da Johnson & Johnson, de apenas uma dose, contra a COVID-19. Além de exigir apenas uma aplicação, as doses podem ser armazenadas em refrigeradores em temperaturas de 2 °C a 8 °C, o que facilita na hora do transporte e torna o processo mais barato.

Com a autorização da aplicação das vacinas da Johnson & Johnson, o imunizante se torna o quarto aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA). Antes dele vieram as vacinas da Pfizer com a BioNTech, da Moderna e a da AstraZeneca com a Universidade de Oxford.

<em>Imagem: Reprodução/CDC/Unsplash</em>
Imagem: Reprodução/CDC/Unsplash

Ainda que a nova vacina aprovada seja mais fácil de distribuir e conte com apenas uma dose, ela é um pouco menos eficaz em comparação com as outras na hora de evitar uma contaminação pelo coronavírus. Isso não significa, no entanto, que ela não seja uma aliada no combate à pandemia, uma vez que os testes clínicos feitos nos Estados Unidos mostraram uma eficácia de 72% de proteção contra versões moderadas e severas da COVID-19. A fim de comparação, as vacinas da Pfizer e da Moderna trazem eficácia de cerca de 95%.

Em outubro do ano passado, a União Europeia já havia encomendado 200 milhões das doses da Johnson & Johnson, deixando o contrato aberto para a aquisição de outras 200 milhões caso necessário. Porém, na última quarta-feira (10), a UE afirmou que a compra de insumos pode ser mais demorada do que o esperado.

De acordo com um porta-voz da UE em declaração à Reuters, a companhia vem enfrentando problemas na produção de insumos, o que pode prejudicar a entrega de 55 milhões de doses da vacina no segundo trimestre deste ano. Nos Estados Unidos, a empresa negociou com o governo o fornecimento de 100 milhões de doses até o fim do mês de junho, com o presidente Joe Biden anunciando o plano de comprar mais 100 milhões de doses adicionais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: