Mercado abrirá em 3 h 7 min
  • BOVESPA

    110.580,79
    +234,97 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.304,04
    -72,85 (-0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,45
    +1,68 (+1,53%)
     
  • OURO

    1.856,00
    -9,40 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    29.784,93
    +546,63 (+1,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    662,61
    +6,78 (+1,03%)
     
  • S&P500

    3.941,48
    -32,27 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.928,62
    +48,38 (+0,15%)
     
  • FTSE

    7.516,78
    +32,43 (+0,43%)
     
  • HANG SENG

    20.171,27
    +59,17 (+0,29%)
     
  • NIKKEI

    26.677,80
    -70,34 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.765,75
    -5,25 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1548
    -0,0174 (-0,34%)
     

Ucranianos digitalizam patrimônio cultural em 3D para evitar destruição total

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Alguns cidadãos ucranianos estão se voluntariando para fazerem registros de patrimônios culturais e até artefatos da vida cotidiana com a ajuda do app de realidade aumentada da empresa Polycam — especializada em tecnologia de modelagem 3D — antes que os ataques russos destruam esses objetos.

A tecnologia tem sido usada por voluntários que circulam pelas para fazer backups digitais de estátuas e outros artefatos públicos importantes. A esperança é que eles possam escanear quaisquer patrimônios e recriá-los ou lembrá-los no futuro, caso sejam destruídos.

A iniciativa faz parte do projeto “Backup Ukraine”, desenvolvido pela Polycam em parceria com a Unesco, a Vice Media Group, a organização sem fins lucrativos dinamarquesa Blue Shield Danmark, a Heritage Emergency Rescue Initiative da Ucrânia e o Museu Nacional da História da Ucrânia.

Segundo o projeto, tudo conta para preservar a história da Ucrânia: "materiais com muita textura funcionam muito bem — coisas como estátuas, murais e obras de arte. Superfícies brilhantes e transparentes são mais difíceis para o algoritmo de reconstrução. Você também pode digitalizar locais internos, fornecendo um documento histórico da vida em abrigos" descrevem os desenvolvedores da ideia.

"Queremos colocar essa nova tecnologia nas mãos dos cidadãos ucranianos para eles poderem capturar qualquer coisa que considerem culturalmente valiosa e queiram preservar em 3D para sempre", relata o site projeto.

A Polycam concordou em fornecer hospedagem para todas as digitalizações feitas por seu app — atualmente gratuito para uso na Ucrânia — por pelo menos nos próximos cinco anos. Os elementos escaneados pelos voluntários podem ser vistos no site da plataforma.

Projeto não coloca os voluntários em risco

As documentações dos voluntários são marcadas com palavras-chave e depois salvas na plataforma da Polycam, onde podem ser vistas posteriormente. Entre os elementos escaneados encontram-se mosaicos, estátuas e escadas de Kiev, Lviv e Kalynivka, por exemplo. Além disso, também há documentações de abrigos de emergência, modelos 3D de tanques russos, carros destruídos e seções inteiras de estradas.

Sem dúvidas o trabalho dos voluntários fará uma grande contribuição para a história, mas as vidas são mais valiosas. Com os perigos óbvios nas ruas da Ucrânia no momento, o projeto pediu que todos evitem áreas com risco de conflito, respeitem os toques de recolher e não revelem acidentalmente as localizações dos militares ucranianos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos