Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.482,78
    +815,19 (+1,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Ucrânia diz que Ocidente deve agir já para impedir nova ofensiva militar da Rússia

Matthias Williams
·1 minuto de leitura
Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, durante entrevista à Reuters em Kiev

Por Matthias Williams

KIEV (Reuters) - A Ucrânia fez um apelo a aliados ocidentais para que mostrem que estão preparados para punir Moscou com novas sanções, inclusive expulsar a Rússia do sistema global de pagamentos bancários Swift, para impedir que o Kremlin recorra a mais força militar contra o país.

Em uma entrevista concedida à Reuters na quarta-feira, o ministro das Relações Exteriores ucraniano, Dmytro Kuleba, disse que, embora Kiev não tenha informações novas indicando que o presidente russo, Vladimir Putin, decidiu adotar novas ações militares contra a Ucrânia, é importante o Ocidente agir agora para impedir que isto aconteça.

A Ucrânia está tentando angariar apoio internacional devido ao impasse surgido com Moscou na esteira do aumento das tropas russas em sua fronteira leste e na Crimeia, que a Rússia anexou de Kiev em 2014.

"Não tenho informações para afirmar que a decisão de iniciar uma operação militar contra a Ucrânia já foi tomada. Então pode ir em qualquer uma das direções agora", disse Kuleba.

"E é por isso que a reação do Ocidente, a reação consolidada do Ocidente, é tão importante agora, para impedir Putin... de tomar essa decisão."

Kiev e Moscou se culpam mutuamente pelo fracasso do cessar-fogo em Donbass, região do leste onde tropas ucranianas enfrentam forças apoiadas pela Rússia em um conflito que Kiev diz ter matado 14 mil pessoas desde 2014.

Kuleba disse ter pedido que Washington forneça "meios poderosos de guerra eletrônica" para seu país se contrapor à capacidade russa de atrapalhar as comunicações ucranianas quando se encontrou com o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, na semana passada.

(Reportagem adicional de Sergiy Karazy)