Mercado abrirá em 32 mins
  • BOVESPA

    126.285,59
    +1.673,56 (+1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.344,11
    +433,58 (+0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,68
    +0,29 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.831,30
    +26,70 (+1,48%)
     
  • BTC-USD

    39.668,84
    -1.014,51 (-2,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    928,52
    -1,40 (-0,15%)
     
  • S&P500

    4.400,64
    -0,82 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    34.930,93
    -127,59 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.085,90
    +69,27 (+0,99%)
     
  • HANG SENG

    26.315,32
    +841,44 (+3,30%)
     
  • NIKKEI

    27.782,42
    +200,76 (+0,73%)
     
  • NASDAQ

    15.003,50
    -8,00 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0386
    -0,0199 (-0,33%)
     

UBS permitirá trabalho híbrido para dois terços dos funcionários

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O UBS permitirá, de forma permanente, que até dois terços dos funcionários trabalhem tanto de casa quanto do escritório, de olho em talentos de alguns bancos de Wall Street menos flexíveis.

A medida é coordenada pelo CEO Ralph Hamers, de acordo com memorandos internos vistos pela Bloomberg. A análise interna do banco mostra que dois terços da força de trabalho estão em cargos adequados para o trabalho híbrido, enquanto algumas funções, como operadores e funcionários de agências, terão que trabalhar nos escritórios.

Nenhuma data para o retorno aos escritórios foi definida. Os funcionários podem começar a se inscrever para o trabalho híbrido assim que as regras sobre a pandemia de cada local permitirem o retorno em tempo integral ao escritório. Por enquanto, funcionários da Austrália, China, Hong Kong, Nova Zelândia e Taiwan já podem manifestar interesse, segundo uma pessoa a par do assunto.

“As opções de trabalho híbrido serão introduzidas país a país, e o prazo vai depender da situação local da pandemia”, disse Nadine Reif, porta-voz do UBS.

O presidente do conselho do UBS, Axel Weber, e o ex-CEO Sergio Ermotti sugeriram no início do ano que um modelo de trabalho flexível estava em avaliação e que pelo menos 30% da força de trabalho do UBS poderia trabalhar permanentemente de casa.

A medida do UBS contrasta com muitos dos rivais nos Estados Unidos. O Goldman Sachs exigiu que quase todos os funcionários no país voltem ao escritório, o JPMorgan Chase solicitou que a maioria dos empregados retome os horários regulares a partir de 6 de julho, enquanto o CEO do Morgan Stanley, James Gorman, alertou: “Se você pode ir a um restaurante na cidade de Nova York, pode entrar no escritório e queremos você no escritório”.

O UBS disse aos funcionários que “casa se refere ao seu país de residência e emprego” e que “trabalho híbrido não significa que você pode trabalhar onde e quando quiser”, de acordo com os memorandos. Regras específicas serão implementadas para funcionários cujas residências estejam localizadas em um país ou estado/província diferente de seus escritórios, ou que estejam em projetos internacionais.

O Citigroup também permitiu à maioria dos funcionários adotar um regime híbrido entre casa e escritório a longo prazo.

Entre bancos europeus, o Deutsche Bank disse a banqueiros de investimento nos EUA que espera o retorno aos escritórios da empresa no início de setembro, embora tenha dito que estuda permitir o trabalho remoto até três dias por semana.

Para alguns bancos, as mudanças significaram reavaliar o espaço ocupado em escritórios. O UBS iniciou uma revisão no ano passado de suas propriedades imobiliárias, ecoando comentários do Deutsche Bank de que o compartilhamento de mesas seria acelerado com mais pessoas em casa pelo menos parte do tempo.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos