Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.488,27
    -159,72 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.659,23
    -139,15 (-0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,44
    +0,16 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.765,70
    -2,60 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    61.372,46
    +864,04 (+1,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.433,47
    -18,16 (-1,25%)
     
  • S&P500

    4.486,84
    +15,47 (+0,35%)
     
  • DOW JONES

    35.259,89
    -34,87 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.285,75
    +151,25 (+1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4091
    +0,0053 (+0,08%)
     

UBS ganha mercado em dívida local no Brasil após parceria com BB

·4 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O UBS BB, parceria do suíço UBS com o Banco do Brasil, prevê que o mercado secundário local de títulos de dívida corporativa deva crescer cerca de 30% em 2022 e está tomando medidas para abocanhar fatia maior do negócio.

Most Read from Bloomberg

O banco de investimento, lançado há um ano com foco na América do Sul, está ajustando os sistemas internos de sua corretora para se preparar para o boom esperado, disseram executivos.

“Nossa parceria com o BB trouxe visibilidade e relevância para o nosso negócio de mercado de capitais de dívida local”, e agora o banco quer ampliar o volume de trading no mercado secundário, disse Daniel Mendonça de Barros, chefe de mercados globais do UBS para a América Latina em entrevista. “É um grande desafio para nós.”

Um salto de 30% na negociação secundária de dívida corporativa local aconteceria após o aumento de 84% no mercado brasileiro neste ano até terça-feira, para R$ 229,9 bilhões, de acordo com a Anbima, a associação dos participantes no mercados de capitais do país. O UBS era já o segundo lugar em volume de negócios no mercado secundário de ações do Brasil quando lançou a parceria com o Banco do Brasil, o segundo maior banco da América Latina em ativos. Desde então, ganhou participação no mercado de capitais de dívida corporativa local, que é dominado por bancos com grandes balanços locais e que podem manter os títulos em suas carteiras.

O UBS BB ocupa a 5ª posição no ranking de coordenadores na emissão de títulos corporativos locais no Brasil até agora neste ano, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Em todo o ano passado, o Banco do Brasil ocupou o quinto lugar e o UBS, o 15º. A emissão total de dívida atingiu R$ 155,7 bilhões até agora neste ano, quase o dobro do valor registrado no mesmo período do ano passado, mostram os dados.

A demanda por investimentos de renda fixa tem subido em meio ao aumento das taxas de juros, o que impulsiona os retornos em um mercado dominado por títulos de taxa flutuante. O Banco Central tem elevado a taxa básica de juros Selic desde março, para 6,25%, de um nível recorde de baixa de 2%, em meio a uma aceleração da inflação. Economistas esperam aumentos adicionais.

“Estamos vendo mais uma vez um fluxo de recursos para produtos de renda fixa, diante das estimativas de que as taxas de juros podem chegar a 9% até o final deste ano”, disse Daniel Bassan, presidente do UBS BB, em entrevista. “E esperamos um mercado ainda mais forte durante 2022.”

Os mercados de ações, por outro lado, estão se tornando mais “voláteis”, disse Bassan. Algumas vendas de ações podem ser canceladas ou adiadas, e as empresas que precisam de dinheiro podem decidir emitir dívida ou vender participações para fundos de private equity ou companhias maiores em transações tradicionais de fusão e aquisição, disse ele.

“Este ano foi muito bom para o mercado de capitais de renda variável e, para o próximo ano, esperamos um pouco menos de volume”, disse Bassan.

As vendas totais de ações de empresas brasileiras chegaram a R$ 135,2 bilhões em 2021, aumento de 18% em relação ao mesmo período em 2020, mostram dados compilados pela Bloomberg. O UBS BB ocupa a 8ª posição no ranking de coordenadores por volume e a quinta posição em número de transações. Em todo o ano passado, o BB ocupou a 11ª posição em volume e o UBS, a 14ª.

O aumento da participação no mercado primário de ações impulsionou as negociações no mercado secundário, que subiram 17%, disse Mendonça de Barros.

“O crescimento da indústria de gestão de recursos trouxe mais clientes para nós, e muitos fundos locais estão diversificando sua estratégia e negociando nos EUA”, disse ele, acrescentando que o UBS BB também ganhou participação de mercado entre investidores de fora do Brasil.

O volume total de ações negociadas pelo banco até agora neste ano no mercado secundário chegou a R$ 1,47 trilhão, 46% a mais do que o Morgan Stanley, terceiro colocado, mostram os dados da Bloomberg. O UBS manteve sua segunda posição, enquanto a XP Inc., com R$ 1,64 trilhão negociado, ocupava a primeira posição.

Até agora, o UBS BB tem atendido apenas grandes clientes institucionais. O próximo passo é estar entre as corretoras que executam ordens de negociação de ações de clientes pessoa física do Banco do Brasil, serviço que o banco planeja iniciar em fevereiro. O BB continuará atendendo os clientes e o UBS fará o trading.

O UBS BB é um banco de investimento para o Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai. O UBS detém o controle acionário de 50,01% da sociedade e o BB detém o restante. A joint venture contratou mais de 60 pessoas este ano, incluindo as que vieram do Banco do Brasil, segundo Bassan, ex-chefe do banco de investimento do UBS no Brasil.

Em seu aniversário de um ano, a parceria é um sucesso, disse Sylvia Brasil Coutinho, presidente do UBS no Brasil. “Ambos os bancos ganharam”, disse ela. “O BB ganhou presença e distribuição globais e o UBS ganhou penetração local.”

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos