Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.620,40
    -27,59 (-0,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.658,01
    -140,37 (-0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,28
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.764,40
    -3,90 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    61.470,25
    +1.599,01 (+2,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.436,36
    -15,28 (-1,05%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.287,50
    +153,00 (+1,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4054
    +0,0016 (+0,02%)
     

UBS BB eleva projeção para Selic a 9,25% em 2022

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O UBS BB elevou sua estimativa para o patamar dos juros básicos ao fim do ciclo de aperto monetário do Banco Central a 9,25% ao ano, citando piora nas expectativas da própria autoridade monetária para a inflação do ano que vem.

O credor suíço espera que a taxa Selic encerre 2021 em 8,25%, mantendo projeção anterior para o fim do ano, mas seja elevada em 1 ponto percentual em fevereiro de 2022, ficando em 9,25%. Anteriormente, a expectativa do UBS BB era de taxa terminal de 8,5% ao ano.

Segundo relatório de quarta-feira, assinado por Alexandre de Ázara, economista-chefe do UBS BB; Fabio Ramos, economista; e Roque Montero, estrategista, a revisão na perspectiva para a Selic veio na esteira de mudança inesperada nas estimativas inflacionárias do Banco Central, anunciadas na véspera.

Para 2022 e 2023, que compõem o seu horizonte relevante para a política monetária, as expectativas do BC são agora de inflação de 3,7% e 3,2%, respectivamente, ante 3,5% e 3,2% anteriormente. A meta de inflação para 2022 é de 3,5% e, para 2023, de 3,25%, sempre com banda de tolerância de 1,5 ponto percentual.

"Com a surpresa na projeção do modelo (do BC), deixar a Selic em 8,25% em dezembro de 2021 e em 8,5% em fevereiro de 2022 não é suficiente para convergir o IPCA para a meta no ano que vem", escreveram os especialistas do UBS BB.

Segundo o UBS BB, depois de levar a Selic a 9,25% no início de 2022, o Banco Central deve manter sua política monetária inalterada até, pelo menos, as eleições presidenciais de outubro.

"Se a inflação ficar dentro da meta para 2023, o resultado da eleição sinalizar provável comprometimento com o regime fiscal e houver renovação da confiança, é possível imaginar uma redução da taxa de juros a partir de 2023", afirmou o UBS BB. "Mas isso está longe demais para estimar agora", completaram os profissionais da casa, afirmando que estão reavaliando seus prognósticos para o PIB.

(Por Luana Maria Benedito)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos