Mercado fechará em 2 h 14 min
  • BOVESPA

    107.300,27
    -1.641,41 (-1,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.310,15
    -1.289,23 (-2,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,89
    -2,25 (-2,64%)
     
  • OURO

    1.833,60
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    34.191,57
    -1.059,96 (-3,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    778,83
    -31,77 (-3,92%)
     
  • S&P500

    4.256,99
    -140,95 (-3,20%)
     
  • DOW JONES

    33.391,25
    -874,12 (-2,55%)
     
  • FTSE

    7.307,71
    -186,42 (-2,49%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    13.982,75
    -443,75 (-3,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2311
    +0,0411 (+0,66%)
     

Ubisoft paralisa criação de jogos por êxodo de funcionários

·1 min de leitura

Funcionários da Ubisoft estão pedindo demissão em massa, prejudicando a capacidade da desenvolvedora de funcionar plenamente. Segundo reportagem da Axios, o movimento dos ex-empregados ganhou até um nome: “o grande êxodo”.

Entre os pedidos de demissão, estão cargos de liderança e talentos de empresa. De acordo com reportagem do VG247, cinco dos 25 destaques profissionais que trabalharam em Far Cry 6 pediram para sair, bem como 12 dos 50 funcionários destaques que trabalharam em Assassin’s Creed Valhalla.

As saídas também atingem o baixo escalão da empresa. Atualizações na rede social LinkedIn mostraram que a Ubisoft Toronto e a Ubisoft Montreal perderam 60 pessoas cada. O problema se tornou tão grande que projetos inteiros foram paralisados ​​ou atrasados ​​por falta de pessoal dentro da desenvolvedora.

A debandada de funcionários pode ser atribuída a vários fatores, com entrevistas citando baixos salários, posições mais competitivas em outros lugares, frustração criativa e com a forma como a diretoria da Ubisoft lidou com as recentes alegações de sexismo e assédio no local de trabalho.

Nas últimas semanas, funcionários ainda emitiram uma carta criticando a nova plataforma de NFTs da empresa, chamada Ubisoft Quartz. Em um grupo interno de colaboradores, eles questionaram a empreitada do estúdio, chamando-a de “confusa” e “perturbadora”.

Para compensar as perdas, a Ubisoft abriu uma temporada de contratações em massa. A revelação do remake de Splinter Cell seria uma dos atrativos para que talentos se interessem em ir para a desenvolvedora.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos