Mercado fechará em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    107.865,39
    +1.569,21 (+1,48%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.872,24
    -17,42 (-0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,06
    +1,30 (+1,55%)
     
  • OURO

    1.809,30
    +13,00 (+0,72%)
     
  • BTC-USD

    63.214,84
    +2.674,62 (+4,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.507,52
    +1.264,84 (+521,20%)
     
  • S&P500

    4.550,24
    +5,34 (+0,12%)
     
  • DOW JONES

    35.710,78
    +33,76 (+0,09%)
     
  • FTSE

    7.229,68
    +25,13 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.390,00
    +49,00 (+0,32%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4822
    -0,0986 (-1,50%)
     

Uber vai lançar planos de aposentadoria para motoristas no Reino Unido

·1 minuto de leitura

BENGALURU/LONDRES (Reuters) - A Uber Technologies vai começar a por em prática oferta de planos de aposentadoria para motoristas no Reino Unido, meses depois ser obrigada a conceder direitos trabalhistas a eles no país.

Em março, a Uber reclassificou mais de 70 mil motoristas na Inglaterra como trabalhadores após decisão da Justiça do país. A companhia também afirmou que vai oferecer outros direitos como férias remuneradas e salário mínimo.

Nesta sexta-feira, a companhia norte-americana afirmou que vai contribuir com 3% da renda de motoristas para o plano de pensão e os motoristas poderão escolher entre contribuir com um mínimo de 5% de sua renda no serviço.

A entidade britânica GMB representa os motoristas da Uber no país e tem o direito de negociar em nomes dos trabalhadores.

Uber e a GMB também defenderam que outras companhias de transporte por aplicativo como Ola, Bolt e Addison Lee ofereçam direitos similares a seus motoristas.

O regulador dos planos de pensão do Reino Unido afirmou que a Uber tem dado "passos positivos" e defendeu que todas as empresas da chamada "gig economy" coloquem seus funcionários em planos de aposentadoria.

"A gig economy vai crescer mais conforme o Reino Unido deixa a pandemia e as empresas se recuperarem e é correto que todos os trabalhadores que contribuam para ela recebam pensões a que têm direito", afirmou um porta-voz.

O regulador afirmou que vai fiscalizar as empresas que não envolverem seus trabalhadores "voluntariamente e imediatamente", disse o porta-voz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos