Mercado fechado

Uber Eats pode perder acordo de compra da rival GrubHub

Stephanie Kohn

No início de maio, o Uber expressou intenções em adquirir o GrubHub, serviço online de pedidos e entrega de alimentos, que concorre com o Uber Eats. No entanto, de acordo com o Wall Street Journal, a empresa de transportes privados pode perder o negócio para a rival europeia Just Eat Takeaway, devido a preocupações do mercado norte-americano de um possível monopólio.

Com o suposto fracasso na compra da concorrente, as ações do Uber apresentaram baixa de quase 5% nesta quarta-feira (10). Isso porque, sem o GrubHub, o Uber Eats é apenas outro serviço de entrega de comidas que tem um longo caminho pela frente antes de ajudar a diminuir os prejuízos da empresa-mãe. Prejuízos que, inclusive, aumentaram com a pandemia e a baixa procura pelo transporte de pessoas.

Nos Estados Unidos as caronas estão voltando, mas ainda geram receitas menores do que no ano anterior. E com o Uber Eats reportando EBITDA negativo (resultados líquidos somado a juros pagos, impostos, depreciações e amortizações) de cerca de US$ 100 milhões todo mês, a entrega de alimentos é de pouca ajuda.

Antitruste, o direito de concorrência

Restaurantes já haviam expressado preocupações com a possível compra do GrubHub pelo Uber, uma vez que as taxas cobradas pelo Uber Eats poderiam aumentar com uma participação de mercado maior por parte do serviço. Alguns estabelecimentos expressaram antipatia pelo serviço de entrega de comidas do Uber, que às vezes cobra dos pequenos - que já operam em margens reduzidas - cerca de 15% a 30% de taxas em cada pedido, porém oferece descontos para grandes redes como o McDonald’s, por exemplo.

Fonte: Canaltech