Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.392,12
    +2.369,20 (+5,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Uber Eats começa a vender maconha para uso com fins recreativos no Canadá

·2 min de leitura

A Uber anunciou que começará a vender maconha para usuários do seu aplicativo Uber Eats em Ontário, no Canadá. Os moradores locais poderão solicitar produtos feitos a base de cannabis via app por meio de uma rede varejista chamada Tokyo Smoke e retirar em uma das lojas próximas. Os produtos não podem ser entregues.

Por enquanto, os pedidos deverão ser feitos pelo programa e buscados em uma hora, prazo no qual a Uber verificará a sua idade no aplicativo — se for menor de idade, não tem como comprar. Como a compra é feita pelo usuário, mediante a apresentação do documento de identidade, e por isso não é possível recorrer à entrega por motoboys. Para a Uber, a parceria com a Tokyo Smoke ajudá os adultos no país a comprar o produto de forma legal, segura e com garantia de procedência.

Canadenses poderão comprar maconha via Uber Eats (Imagem: Eggbank/Unsplash)
Canadenses poderão comprar maconha via Uber Eats (Imagem: Eggbank/Unsplash)

Estima-se que o mercado de maconha do Canadá movimente cerca de US$ 4 bilhões (mais de R$ 22 bilhões) por ano, valores que podem chegar a US$ 6,7 bilhões em 2026, segundo a empresa de pesquisa da indústria BDS Analytics. Conforme apurou a BBC, o montante teria crescido bastante de 2020 até hoje em razão da pandemia, quando as pessoas precisaram enfrentar o lockdown e apelavam para a droga como forma de diversão.

A legislação do país permite o uso da substância para fins recreativos desde 2018, mas os usuários não têm permissão para revendê-la. Além disso, os locais de comercialização são fiscalizados e estão submetidos a uma série de regras impostas pelo governo do Canadá.

Maconha por delivery em outros países?

A empresa ainda não decidiu se vai ampliar a oferta para outras regiões canadenses, nem se pretende levar a novidade para outros países que tenham legalizado o uso recreativo da droga. O CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, já declarou anteriormente ter interesse na distribuição nos Estados Unidos assim que a legislação permitir.

No Brasil, o uso da cannabis é ilegal e usuários com finalidades medicinais precisam de permissão da justiça para adquirir o produto. Há movimentos sociais que tentam sensibilizar os parlamentares para liberar a substância, apontada como uma questão de saúde pública e não de polícia, mas não existe nenhuma previsão de legalização.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos