Mercado fechará em 3 h 38 min
  • BOVESPA

    108.046,52
    -355,75 (-0,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.186,67
    -168,19 (-0,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,21
    -0,55 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.813,40
    +8,20 (+0,45%)
     
  • BTC-USD

    23.082,82
    -828,41 (-3,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,50
    -21,85 (-3,92%)
     
  • S&P500

    4.119,91
    -20,15 (-0,49%)
     
  • DOW JONES

    32.797,68
    -34,86 (-0,11%)
     
  • FTSE

    7.488,15
    +5,78 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    20.003,44
    -42,33 (-0,21%)
     
  • NIKKEI

    27.999,96
    -249,28 (-0,88%)
     
  • NASDAQ

    13.006,50
    -176,75 (-1,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2444
    +0,0350 (+0,67%)
     

Uber é processada por 550 mulheres nos EUA por estupro e agressão, diz jornal

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Uber está sendo processada por mais de 550 passageiras por sequestro, estupro, agressão e assédio sexual durante corridas do aplicativo, segundo reportagem desta quinta-feira (15) publicada pelo jornal The Guardian.

No processo, aberto nesta quarta (14) no Tribunal Superior do Condado de São Francisco, nos Estados Unidos, a empresa é acusada de não proteger as mulheres e apresentar falhas sistemáticas na prevenção à violência.

O advogado Adam Slater, representante das passageiras, disse ao jornal britânico que a Uber reconheceu a situação nos últimos anos, mas a resposta dada foi lenta e inadequada.

"A Uber pode fazer muito mais para proteger os passageiros: adicionar câmeras para impedir assaltos, verificar antecedentes dos motoristas, criar um sistema de alerta quando os motoristas não permanecem no caminho para o destino", disse.

Slater disse ao The Guardian que a empresa da qual é sócio, Slater Slater Schulman, ainda está investigando mais de 150 casos para inclusão no mesmo processo.

"A agressão sexual é um crime horrível e levamos cada denúncia a sério", disse um porta-voz da Uber em resposta ao processo.

"Não há nada mais importante do que a segurança, e é por isso que a Uber criou novos recursos de segurança, estabeleceu políticas centradas no sobrevivente e foi mais transparente sobre incidentes graves. Embora não possamos comentar sobre litígios pendentes, continuaremos mantendo a segurança no centro de nosso trabalho", disse a empresa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos