Mercado fechado

Uber é autorizada a operar com patinetes em São Paulo

Nathan Vieira

Se você andou pelas ruas de São Paulo, é muito provável que já tenha visto alguém circulando em cima de um daqueles famigerados patinetes elétricos. E apesar de ser um mercado realmente turbulento, como podemos ver com a reestruturação da Grow e o encerramento das operações da Lime, grandes empresas do ramo, uma companhia está prontíssima para encarar esse nicho: a Uber.

Faz pouco mais de um mês que a empresa começou o negócio de patinetes elétricos no país. O início foi em Santos, no litoral paulista, mas a ideia agora é levar os serviços para a capital. E foi justamente nesta sexta (24) que a companhia de mobilidade urbana conquistou a autorização da Prefeitura de São Paulo para operar na cidade em questão.

Uber já está autorizada a operar em São Paulo com seus patinetes elétricos

As informações são do Diário Oficial, responsável por publicar a autorização definitiva. Com a novidade, a Uber deve oferecer, muito em breve, o aluguel dos patinetes na capital paulista. O preço é de R$ 1,50 para desbloquear o "veículo" mais R$ 0,75 por minuto de uso. Não é necessário baixar nenhum outro aplicativo, bastando usar a mesma conta utilizada para pedir corridas em carros e também entregas no EATS.

A empresa preparou uma série de materiais educativos para os usuários de Santos, relembrando regras de trânsito e dicas para dirigir os patinetes com segurança. O conteúdo está disponível no site da Uber, no próprio aplicativo e será distribuído em panfletos na área de operação, que vai da Ponta da Praia até o Emissário.

Em dezembro, Ruddy Wang, diretor de Novas Modalidades da Uber no Brasil, afirmou o seguinte: "Estamos muito empolgados em trazer os patinetes elétricos da Uber para o Brasil começando por Santos, uma cidade sempre aberta à inovação e que tem uma boa infraestrutura cicloviária. Com esse novo serviço, queremos continuar ajudando as pessoas a se deslocar sem ter que depender de um carro particular, contribuindo para redução dos congestionamentos e da poluição urbana".

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: