Mercado abrirá em 5 h 38 min

Twitter volta a demitir funcionários, desta vez do time de moderação

Aparentemente as demissões se tornaram algo rotineiro para a empresa liderada pelo bilionário Elon Musk. Na última sexta-feira (6), o Twitter voltou a demitir funcionários, desta vez do time de moderação. Segundo a Bloomberg, cerca de uma dúzia de trabalhadores dos escritórios em Dublin e Singapura foram dispensados.

Dentre os profissionais demitidos estão Analuisa Dominguez — ex-diretora sênior de política da receita da empresa — e demais funcionários responsáveis por políticas de desinformação, processos de apelo global e mídia estatal. Em resposta à Bloomberg, Ella Irwin, chefe de confiança e segurança do Twitter, confirmou as demissões, mas replicou sobre as equipes afetadas.

A executiva justificou que "faz mais sentido consolidar as equipes sob um líder (em vez de dois), por exemplo", acrescentando que a rede social eliminou cargos que não possuíam "volume" suficiente para justificar os gastos. Irwin afirmou que a empresa continuará a ter um chefe de política de receita e que o Twitter aumentou o número de funcionários no setor de apelo global.

Em novembro, Elon Musk anunciou que a empresa não demitiria mais nenhum funcionário, durante uma reunião geral. Apesar de não ter realizado nenhum corte do mesmo nível que o primeiro — que diminuiu a força de trabalho em quase 50% —, porém, a empresa continuou reduzindo suas equipes.

No último mês, metade da divisão de infraestrutura também foi dispensada. Segundo uma estimativa recente do The Information, o número atual do quadro de funcionários do Twitter está em cerca de 2 mil profissionais, contra os 7.500 que existiam quando Musk adquiriu a plataforma.

Demissões podem acarretar problemas para Musk

O Twitter tem sido alvo da atenção de órgãos reguladores, desde que o bilionário sul-africano assumiu a direção da empresa. A empresa já possuía processos em aberto sobre problemas de moderação, incluindo multas bilionárias. Com a chegada de Musk, a divisão responsável por definir regras de proteção dos usuários foi reduzida pela metade — o que serviu de alerta para os reguladores da União Europeia.

Em um recado para o diretor do Twitter, o comissário da União Europeia, Thierry Breton, disse que a empresa enfrentará um enorme trabalho pela frente para cumprir os regulamentos europeus sobre moderação de conteúdo, remoção de desinformação e limitação de publicidade direcionada.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: