Mercado fechará em 8 mins
  • BOVESPA

    113.603,62
    -1.458,92 (-1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,63
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.755,10
    -39,70 (-2,21%)
     
  • BTC-USD

    47.720,75
    -390,23 (-0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.225,80
    -7,49 (-0,61%)
     
  • S&P500

    4.475,33
    -5,37 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.779,89
    -34,50 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.027,48
    +10,99 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.522,50
    +18,50 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1942
    -0,0018 (-0,03%)
     

Twitter vai “etiquetar” perfis de políticos e jornais ligados a governos

·2 minuto de leitura

O Twitter acaba de anunciar uma novidade interessante: a partir desta quinta-feira (6), a rede social passará a etiquetar perfis de celebridades políticas e de veículos de mídia que tenham afiliação com entidades governamentais. De acordo com a própria plataforma, isso será feito para aumentar a transparência no site, otimizando debates de interesse público e reduzindo a influência viral de jornais menos imparciais.

Por enquanto, a novidade será aplicada apenas em contas que representam “a voz da nação como um todo”; o que inclui, por exemplo, o secretário de estado dos EUA Mike Pompeo. Porém, o Twitter também garantiu que as etiquetas serão aplicadas em oficiais da China, França, Rússia e Reino Unido — o Brasil, por enquanto, não foi confirmado no rol de países que fazem parte do recurso.

Curiosamente, a plataforma não dará selos para presidentes, afirmando que tais contas já possuem “grande reconhecimento de nome, atenção da mídia e conhecimento popular”. Já em relação aos veículos de mídia, a rede social diz que a categoria inclui jornais nos quais o governo “exerce controle sobre o conteúdo editorial através de recursos financeiros, pressões políticas diretas ou indiretas e controle sobre produção ou distribuição”.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Por fim, tais veículos — que há tempos já estão proibidos de adquirir espaços publicitários no Twitter — também não terão mais suas publicações destacadas em sugestões e resultados de busca, justamente para evitar discussões políticas influenciadas por determinado partido.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos