Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.664,35
    -786,85 (-0,73%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.102,55
    -339,66 (-0,75%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,05
    -0,18 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.668,40
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    19.401,40
    -33,86 (-0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,44
    -2,54 (-0,57%)
     
  • S&P500

    3.640,47
    -78,57 (-2,11%)
     
  • DOW JONES

    29.225,61
    -458,13 (-1,54%)
     
  • FTSE

    6.881,59
    -123,80 (-1,77%)
     
  • HANG SENG

    17.049,56
    -116,31 (-0,68%)
     
  • NIKKEI

    26.010,74
    -411,31 (-1,56%)
     
  • NASDAQ

    11.212,00
    -16,25 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2974
    -0,0006 (-0,01%)
     

Twitter teme perder anunciantes e empregados por causa de Elon Musk

Elon Musk
Negócio foi fechado em US$ 44 bilhões na semana passada, mas não deve ser concluído até o final do ano

(Theo Wargo/WireImage)

  • Twitter alerta órgão regulador norte-americano sobre possibilidade de perder anunciantes e funcionários;

  • Empresa teme efeitos negativos em meio a incertezas sobre a venda da rede a Elon Musk;

  • Até que o negócio seja concluído, plataforma teria dificuldades em realizar mudanças em seus negócios.

O Twitter alertou, em documento enviado nesta segunda-feira (02) ao órgão regulador do mercado de capitais norte-americano, que pode perder anunciantes e funcionários com a venda da plataforma para o bilionário Elon Musk. O negócio foi fechado em US$ 44 bilhões na semana passada.

Segundo a empresa, há “a possibilidade de nossos atuais empregados ficarem dispersos e verem sua produtividade cair como resultado das incertezas em relação à compra”, o que atrapalharia a retenção de talentos em um mercado em que a mão de obra especializada é escassa. Na primeira reunião geral com o CEO Parag Agrawal depois da notícia de compra, executivos se mostraram tensos com as mudanças em áudio vazado.

Conforme divulgado pela Carta Capital, apesar da proposta bilionária de Musk ter sido aceita, especialistas analisam que a aquisição por parte do empresário só estará totalmente concluída no final do ano, sendo que, até lá, o Twitter teria dificuldades em realizar qualquer mudança em seu modelo de negócio.

Inclusive, a empresa já suspendeu a contratação de novos funcionários e outras atualizações no aplicativo até que a transação deixe o status de pendente. Isso, segundo o documento, poderia prejudicar a relação com os anunciantes e afetar os valores das ações da empresa.

“Qualquer interrupção em nossos negócios como resultado da pendência na transação, incluindo mudanças nas nossas relações com empregados, anunciantes e outros parceiros de negócios, poderá se intensificar caso a compra não seja consumada ou seja adiada significativamente”, diz o texto.

Preocupação com anunciantes x liberdade de expressão

Três dias após a divulgação da compra do Twitter por Musk, o jornal Financial Times divulgou que a plataforma teria enviado um e-mail a agências de publicidade para acalmar os ânimos das marcas que a patrocinam.

O temor do Twitter está relacionado à posição de Musk como defensor absoluto da liberdade de expressão, especialmente porque o empresário planeja remover somente os conteúdos formalmente ilegais, o que abre brecha para posts preconceituosos, aos quais as empresas patrocinadoras não querem seus nomes associados. Exemplos disso são temas ligados a campanhas antivacina e pró-nazistas.

Por meio do e-mail, a rede afirma que “continua comprometida” em garantir que os anúncios dos patrocinadores não sejam associados a conteúdos ofensivos e prejudiciais.