Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,65 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,19
    -0,08 (-0,15%)
     
  • OURO

    1.854,80
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    32.811,96
    +22,64 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    669,44
    +59,45 (+9,75%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,02 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.735,04
    +287,19 (+0,98%)
     
  • NIKKEI

    28.709,53
    +78,08 (+0,27%)
     
  • NASDAQ

    13.447,00
    +85,50 (+0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6547
    +0,0027 (+0,04%)
     

Twitter suspende milhares de contas que compartilhavam conteúdo QAnon

·1 minuto de leitura
.

(Reuters) - O Twitter disse que suspendeu mais de 70 mil contas desde sexta-feira principalmente dedicadas ao compartilhamento de conteúdo QAnon, após os atos violentos ocorridos na semana passada em Washington, quando apoiadores do presidente Donald Trump invadiram o Capitólio.

"Dados os eventos violentos em Washington, DC, e o aumento do risco de violência, começamos a suspender permanentemente milhares de contas que eram principalmente dedicadas ao compartilhamento de conteúdo QAnon na tarde de sexta-feira", disse o Twitter em seu blog.

"Essas contas estavam envolvidas no compartilhamento de conteúdo prejudicial não associado ao QAnon em grande escala e eram principalmente dedicadas à propagação dessa teoria da conspiração em toda a plataforma", disse a empresa.

Apoiadores do QAnon promoveram conspirações nas redes sociais que incluem a alegação infundada de que Trump está secretamente lutando contra uma conspiração de predadores sexuais infantis, entre eles democratas proeminentes, figuras de Hollywood e aliados do chamado "deep state".

O Twitter disse sexta-feira que suspenderá permanentemente as contas que divulgam o conteúdo QAnon, proibindo os defensores de suas teorias de conspiração.

(Por Kanishka Singh)