Mercado abrirá em 9 h 21 min

Twitter punirá contas que desejarem morte de Donald Trump

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
US President Donald Trump walks to Marine One prior to departure from the South Lawn of the White House in Washington, DC, October 2, 2020, as he heads to Walter Reed Military Medical Center, after testing positive for Covid-19. - President Donald Trump will spend the coming days in a military hospital just outside Washington to undergo treatment for the coronavirus, but will continue to work, the White House said Friday (Photo by SAUL LOEB / AFP) (Photo by SAUL LOEB/AFP via Getty Images)
US President Donald Trump walks to Marine One prior to departure from the South Lawn of the White House in Washington, DC, October 2, 2020, as he heads to Walter Reed Military Medical Center, after testing positive for Covid-19. - President Donald Trump will spend the coming days in a military hospital just outside Washington to undergo treatment for the coronavirus, but will continue to work, the White House said Friday (Photo by SAUL LOEB / AFP) (Photo by SAUL LOEB/AFP via Getty Images)

O Twitter informou na noite da última sexta-feira (2) que punirá perfis na rede social que desejarem a morte de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, após ter sido diagnosticado com o novo coronavírus.

“Tweets que desejam morte, lesões corporais graves ou doenças fatais contra qualquer pessoa não são permitidos e deverão ser removidos”, publicou a rede social em resposta ao site Vice, que havia noticiado a suspensão de perfis com publicações pró-morte do presidente.

Leia também

O médico da Casa Branca, Sean Conley, disse neste sábado (3) que Donald Trump está "passando bem" e não teve febre nas últimas 24 horas. “Estamos extremamente felizes com o progresso do presidente”, disse Conley durante uma entrevista coletiva em frente ao hospital militar para onde Trump foi transferido no fim da tarde de sexta-feira.

A equipe médica disse que o presidente continua sendo tratado com remdesivir, medicamento antiviral criado para combater o ebola. Trump tomou a primeira dose nesta sexta e o tratamento completo com o remdesivir deve durar cinco dias.

Segundo Conley, Trump não tomou hidroxicloroquina e “não precisa de oxigênio neste momento”. O médico foi evasivo ao ser questionado se o presidente precisou de oxigênio em algum momento desde o diagnóstico, mas afirmou que Trump não teve dificuldades para respirar.