Mercado fechará em 2 h 29 min
  • BOVESPA

    108.249,54
    -152,73 (-0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.161,20
    -193,66 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,15
    -0,61 (-0,67%)
     
  • OURO

    1.811,80
    +6,60 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    23.128,66
    -820,41 (-3,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    537,26
    -20,09 (-3,60%)
     
  • S&P500

    4.120,63
    -19,43 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    32.797,84
    -34,70 (-0,11%)
     
  • FTSE

    7.488,15
    +5,78 (+0,08%)
     
  • HANG SENG

    20.003,44
    -42,33 (-0,21%)
     
  • NIKKEI

    27.999,96
    -175,94 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.999,25
    -184,00 (-1,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2401
    -0,0265 (-0,50%)
     

Twitter processa Elon Musk por desistência de acordo de US$ 44 bilhões

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Assim como já era de se esperar, o Twitter entrou oficialmente com uma representação legal contra Elon Musk, que, na sexta-feira (8) desistiu do acordo de compra da rede social por US$ 44 bilhões (R$ 239 bilhões), alegando violações no contrato.

Segundo o The New York Times, Sean Edgett, conselheiro geral do Twitter, informou os funcionários sobre o processo em um memorando interno nesta terça (12). Ele teria escrito em nota que “apresentou uma moção para um julgamento acelerado, juntamente com a queixa, pedindo que o caso seja ouvido em setembro, pois é extremamente importante que este assunto seja resolvido rapidamente”.

A ação foi protocolada na Chancery Court no Estado de Delaware, nos Estados Unidos. Cabe ao tribunal determinar se o processo de compra do Twitter deve continuar até o fim, ou se Musk tem mesmo o direito de desistir e ir embora sem pagar o que foi acordado inicialmente.

“Musk se recusa a honrar suas obrigações com o Twitter e seus acionistas porque o acordo que ele assinou não atende mais a seus interesses pessoais”, diz a empresa no processo. “Musk aparentemente acredita que ele — ao contrário de todas as outras partes sujeitas à lei contratual de Delaware — é livre para mudar de ideia, destruir a empresa, interromper suas operações, destruir o valor dos acionistas e ir embora.”

O Twitter parece estar convencido de que pode provar que seus números sobre spam e contas falsas são verdadeiros — o que foi uma das principais razões pelas quais Musk disse ter desistido do negócio. Além disso, a rede social se apoia em algumas cláusulas que podem forçar o acordo, inclusive uma relacionada ao desempenho da empresa e outros sobre insultos públicos e “corpo-mole” na finalização da parceria.

Por enquanto, Musk não comentou oficialmente a ofensiva do Twitter nos tribunais

O que acontece agora no caso entre Twitter e Musk?

Com o processo, o Twitter espera ter algum resultado até os primeiros dias de setembro. A ideia é de que o acordo volte para os trilhos, já que o prazo final para ser concluído é o dia 24 de outubro, com mais seis meses para finalmente concluir tudo.

A novela toda não tem feito bem para as ações do Twitter, que já caíram mais de 35% e despencaram de US$ 54,20 (R$ 294,71) das últimas semanas para os US$ 34,56 (R$ 187,92) por cota no final da tarde desta terça. Aliás, essa desvalorização pode até ser usada por Musk para voltar à mesa de negociações e refazer o acordo por um valor menor — algo, que, pelo menos por enquanto, não parece ser viável para a companhia.

Após esse processo, cabe a Musk e seus advogados responderem a todos os questionamentos feitos pelo Twitter no processo, em audiências em Delaware, que ainda não têm data marcada. Depois, disso, o caso pode então seguir para um julgamento; e daí o juiz decidirá se as divulgações do Twitter sobre os perfis falso e spam foram insuficientes e constituíram algum dano material ao negócio.

Cronologia do caso Elon Musk x Twitter

No começo de abril, Elon Musk comprou 73.486.938 ações do Twitter, equivalente a 9,2% do total de papéis da companhia, e tornou-se um de seus maiores acionistas.

Com o negócio, Musk também foi nomeado para o conselho de administração da rede social. Uma semana depois, o executivo desistiu de fazer parte do conselho. O CEO da plataforma, Parag Agrawal, foi evasivo sobre o assunto; disse apenas que o empresário precisaria, como membro do conselho, "agir no melhor interesse da empresa e de todos os nossos acionistas".

O passo seguinte de Musk foi registrar na SEC uma proposta para comprar todo o Twitter por US$ 44 bilhões, além de fechar novamente seu capital. Segundo ele, é sua oferta final, e se não for aceita, cogita até mesmo deixar de ser acionista da empresa.

No entanto, ele enfrentou resistência da diretoria e de acionistas — em grande parte por temerem uma interferência do ricaço na moderação de conteúdo da rede social, tornando-a mais aberta a desinformação e discurso de ódio.

Mais recentemente, a queda das ações e a falta das informações exigidas por Musk se tornaram decisivas para que a compra fosse finalizada. Executivos do Twitter chegaram a enviar uma pesquisa sobre perfis falsos e spam no dia 2 de maio, com um documento que contabilizou menos de 5% das contas existentes na plataforma são falsas. Mas esse levantamento não convenceu o CEO da Tesla.

No dia 8 de junho, Musk assinou oficialmente o fim do acordo junto à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC, na sigla em inglês).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos