Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.751,68
    -2.890,50 (-6,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Twitter prevê desaceleração em base de usuários, mas resultado supera expectativas

Munsif Vengattil
·2 minuto de leitura
.

Por Munsif Vengattil

BANGALORE, Índia (Reuters) - O Twitter divulgou nesta terça-feira alta de 27% na base de usuários, ficando abaixo do esperado por Wall Street e alertando para uma desaceleração nos próximos trimestres, conforme o impulso gerado pela pandemia perde força.

A empresa de mídia social, que superou expectativas do mercado para receita trimestral e lucro, disse que as despesas aumentarão 25% ou mais em 2021, mas projetou que a receita total crescerá mais rápido do que os custos.

O Twitter informou que no fim de 2020 tinha 192 milhões de usuários ativos diários médios monetizáveis - expressão usada pela companhia para quantos usuários podem visualizar os anúncios. Analistas, em média, previam 196,5 milhões, segundo dados da Refinitiv.

O Twitter disse que a expansão da base de usuários refletiu melhorias no produto e eventos globais como a pandemia e as eleições nos EUA. Algumas mudanças temporárias para combater a desinformação sobre a eleição norte-americana tiveram pequeno efeito negativo no crescimento da base de usuários, disse ela.

O Twitter afirmou que o importante aumento na base de usuários relacionado à pandemia no ano passado criou desafios para ganhos futuros.

Os negócios de publicidade do Twitter se beneficiaram com os novos formatos e segmentação aprimorada de anúncios, disse o diretor financeiro, Ned Segal.

A receita total atingiu o recorde de 1,29 bilhão de dólares, aumento de 28% ano a ano. A receita de anúncios foi de 1,15 bilhão de dólares, alta de 31%. Analistas, em média, esperavam receita de 1,19 bilhão de dólares, com vendas de anúncios totalizando 1,05 bilhão de dólares.

O lucro líquido subiu para 222,1 milhões de dólares, ou 0,27 dólar por ação, de 118,8 milhões, ou 0,15 dólar por papel um ano antes. Sem eventos extraordinários, o lucro foi de 0,38 dólar por ação, ante expectativa média de Wall Street de 0,31 dólar.

O Twitter disse que espera que a receita total no atualtrimestre deve ficar entre 940 milhões e 1,04 bilhão de dólares, em comparação com estimativas de 965,14 milhões.