Mercado fechado

Twitter pode lançar DMs pagas para perfis VIPs

O Twitter está testando um recurso que permitiria ao usuário pagar para enviar mensagens diretas para contas famosas da rede. As direct messages (DMs) pagas seriam usadas para conversar diretamente com os perfis verificados e importantes da plataforma, chamados de "Very Important Tweeters".

A ideia seria cobrar alguns dólares por mensagem para quem quiser ser visto por celebridades, políticos e influenciadores digitais de renome, segundo o jornal The New York Times. Essas DMs patrocinadas chegariam em uma seção separada da tradicional caixa de entrada do Twitter, cabendo aos Very Important Tweeters decidir com quais mensagens eles querem interagir.

Quando o Twitter experimentou essa ferramenta no passado, um usuário enviou uma mensagem ao rapper americano Post Malone perguntando quais seriam suas músicas favoritas. Não se sabe se o cantor respondeu, mas o fã não foi cobrado, segundo o Times, já que o sistema de pagamento não estava finalizado.

Agora que a rede social do passarinho tem uma parceria com a Stripes, é possível que futuras interações sejam cobradas, com a quantia sendo dividida entre as plataformas. Por enquanto, ainda não se tem ideia de quanto o serviço poderia custar nem quais os critérios para definir os "tuíteres muito importantes".

DMs pagas vão chegar ao Twitter?

A ferramenta ainda está em fase de experimento, portanto não existe nenhuma previsão de lançamento. Também não está claro se a retomada do desenvolvimento do recurso é parte da estratégia de Elon Musk para monetizar o serviço ou se é projeto da administração antiga.

O recurso não garante a leitura da mensagem pelo criador de conteúdo, que dirá ter uma resposta. Pode ser só mais um daqueles recursos prontos para cair no esquecimento, pois não são todos que querem pagar pela mera chance de ser visto — interagir com um tuíte da celebridade pode ser mais eficaz.

O recurso lembra bastante a funcionalidade do OnlyFans de enviar mensagens para os criadores favoritos. A diferença é que lá os usuários geralmente respondem às suas interações, afinal você está pagando pela atenção.

Nesta sexta-feira (4), a rede social do passarinho demitiu mais de 2.500 funcionários no mundo inteiro, incluindo uma redução de quase 75% do quadro no Brasil. A medida é uma forma de cortar custos da plataforma e deve se somar a outras iniciativas propostas pelo bilionário, como a venda do selo do Twitter Blue por R$ 40 e o sistema de paywall para vídeos exclusivos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: