Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,67
    +0,47 (+0,60%)
     
  • OURO

    1.747,40
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    16.452,62
    +232,34 (+1,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    389,69
    +0,96 (+0,25%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.204,68
    +906,74 (+5,24%)
     
  • NIKKEI

    28.027,84
    -134,99 (-0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.504,50
    -20,25 (-0,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4524
    -0,0968 (-1,74%)
     

Twitter pode criar sistema próprio de pagamento com conta integrada

O Twitter deve criar um método próprio de processamento de pagamentos. Segundo o jornal The New York Times, a empresa apresentou documentos para registro de um serviço próprio junto ao Departamento do Tesouro dos Estados Unidos na semana passada.

Hoje, a rede social permite o envio de dinheiro por intermédio de vários serviços e faz o processamento pela plataforma Stripes. Embora seja eficiente, isso obviamente reduz o lucro do Twitter, afinal uma parte das taxas cobradas vai para a manutenção do sistema em vez do caixa da empresa.

Esse deve ser o primeiro passo para a consolidação do ambicioso projeto de Elon Musk de integrar contas bancárias ao Twitter. Em uma sessão de perguntas e respostas no Spaces, o bilionário discutiu seus planos para convencer os anunciantes a voltarem a investir.

Os pagamentos no Twitter são processados por terceiros, mas a rede social pode criar a sua própria solução (Imagem: Divulgação/Twitter)
Os pagamentos no Twitter são processados por terceiros, mas a rede social pode criar a sua própria solução (Imagem: Divulgação/Twitter)

Uma das novidades mencionadas por ele é a capacidade de vincular diretamente o saldo da sua conta bancária à plataforma, permitindo a realização de pagamentos, envio e recebimento de dinheiro (como uma espécie de "Pix do Twitter") e fazer a aquisição de itens na rede social, como a assinatura do Twitter Blue, o Super Follow, as gorjetas e coleções de NFTs.

Medida poderia ajudar criadores, explica Musk

Musk garantiu que essa integração facilitaria a vida dos criadores de conteúdo. Hoje, a monetização é feita de modo terceirizado, leva tempo e gera descontos para o profissional. Se houvesse um sistema integrado, todos esses passos seriam minimizados ou até excluídos.

Entre os planos do novo proprietário e CEO da empresa estaria o oferecimento de uma conta real que permitiria o acesso ao mercado monetário como nos bancos. Seria possível contratar cartões de crédito e débito, comprar criptomoedas e até ações pelo sistema. Com a experiência herdada dos tempos de PayPal, serviço do qual foi um dos fundadores, o magnata poderia tirar a ideia do papel mais facilmente.

É claro que essa ambição deve levar algum tempo para se concretizar, porque, antes, o dono do Twitter precisa resolver os problemas que ele mesmo criou. Um deles é implementar o modelo definitivo de assinatura do Twitter Blue, trazendo novos recursos que justifiquem o preço de US$ 8 por mês (possivelmente R$ 25,90 no Brasil) e o selo azul de verificação.

Além disso, é preciso criar um método alternativo de verificação de contas oficiais de empresas, governos e artistas. A rede social até chegou a implementar um selo cinza Oficial, mas o executivo decidiu "matar" a novidade sem dar mais explicações. Um dos temores de se ter o "blue check" liberado é de aumentar a quantidade de perfis fakes, afinal qualquer um poderia criar uma conta para enganar os outros.

Outra dificuldade é a falta de mão de obra operacional para tocar um projeto desse tamanho. Com a equipe reduzida pela metade, fica difícil para os desenvolvedores se dedicarem à construção de uma ferramenta de pagamento, que seria quase como uma nova empresa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: