Mercado fechará em 4 h 21 min
  • BOVESPA

    110.714,21
    -1.209,72 (-1,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,31
    +2,33 (+2,91%)
     
  • OURO

    1.802,50
    -7,10 (-0,39%)
     
  • BTC-USD

    17.228,25
    +272,83 (+1,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    408,10
    -3,12 (-0,76%)
     
  • S&P500

    4.050,55
    -21,15 (-0,52%)
     
  • DOW JONES

    34.244,33
    -185,55 (-0,54%)
     
  • FTSE

    7.584,96
    +28,73 (+0,38%)
     
  • HANG SENG

    19.518,29
    +842,94 (+4,51%)
     
  • NIKKEI

    27.820,40
    +42,50 (+0,15%)
     
  • NASDAQ

    11.922,25
    -88,00 (-0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5251
    +0,0311 (+0,57%)
     

Twitter permitirá que organizações verifiquem contas relacionadas, diz Musk

Twitter permitirá que organizações verifiquem contas relacionadas (AP Photo/Michael Dwyer)
Twitter permitirá que organizações verifiquem contas relacionadas (AP Photo/Michael Dwyer)
  • O anúncio foi feito menos de 48 horas depois da primeira tentativa do Twitter de cobrar pela verificação da conta;

  • Elon Musk tuitou que recurso permitirá que as organizações identifiquem contas que estão “realmente” associadas a elas;

  • A medida pode ser uma resposta parcial aos problemas que a plataforma encontrou na semana passada.

Menos de 48 horas depois da primeira tentativa do Twitter de cobrar pela verificação da conta, Elon Musk anunciou que a empresa está trabalhando em uma nova maneira de autenticar usuários. Na tarde de domingo, o bilionário tuitou que em breve a rede social lançará um recurso para permitir que as organizações identifiquem contas que estão “realmente” associadas a elas.

Ao que tudo indica, o recurso é uma resposta parcial aos problemas que a plataforma encontrou na semana passada. Depois que a empresa começou a lançar sua nova assinatura de US $ 8 por mês no Twitter Blue na quarta-feira, o microblog foi rapidamente invadido por trolls que usaram o serviço para se passar por celebridades e marcas.

Empresas e anunciantes vivenciaram um caos na plataforma. Como exemplo, a empresa farmacêutica Eli Lilly, que registrou queda de 4,37%na sexta-feira, depois que uma conta falsa "verificada" disse que a empresa estava fornecendo insulina gratuitamente. A brincadeira apagou cerca de 15 bilhões do valor de mercado da Eli Lilly e forçou um pedido de desculpas.

O anúncio parece indicar que Musk está aceitando o fato de que uma plataforma de mídia social não pode existir sem moderação de conteúdo. Quando um usuário perguntou se alguém poderia usar o próximo recurso, Musk respondeu : “Em última análise, acho que não há escolha a não ser que o Twitter seja o árbitro final, mas estou aberto a sugestões”.

Antes de fechar o negócio, se tornar o dono do Twitter, Musk se apresentou como um “absolutista” da liberdade de expressão. Durante sua recente aparição no TED Talk, ele disse que era a favor de muito pouca moderação de conteúdo. “Na dúvida, deixe o discurso… deixe-o existir. Se for uma área cinzenta, eu diria para deixar o tweet existir,” disse ele.