Mercado fechará em 4 h 50 min
  • BOVESPA

    110.110,07
    -78,50 (-0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,96
    +0,71 (+0,96%)
     
  • OURO

    1.790,60
    +8,20 (+0,46%)
     
  • BTC-USD

    16.860,08
    -140,18 (-0,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,71
    -6,10 (-1,52%)
     
  • S&P500

    3.941,26
    -57,58 (-1,44%)
     
  • DOW JONES

    33.596,34
    -350,76 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.522,84
    +1,45 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.511,50
    -54,50 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5025
    +0,0238 (+0,43%)
     

Twitter | Musk realiza nova demissão em massa, no setor de vendas

Começa mais uma semana turbulenta na até agora caótica transição interna no Twitter após a aquisição da plataforma pelo empresário Elon Musk. Nesta segunda-feira (21), poucos dias depois das centenas de pedidos de demissão por parte da equipe de tecnologia na semana passada, o executivo aumentou a já grande lista de demitidos com cortes de vários funcionários do setor de vendas.

A notícia vem dos bastidores da empresa, de pessoas ligadas ao alto escalão. Na semana passada, quando Musk impôs um modelo de trabalho com maior carga horária e intensidade, muitos engenheiros pediram demissão — segundo o The New York Times, cerca de 1,2 mil profissionais teriam deixado a companhia por vontade própria.

De acordo com as fontes, muitos funcionários do setor de vendas também optaram por se desligar da empresa diante do ultimato da semana passada, contudo, essa área da empresa continuava com um número proporcionalmente muito maior de empregados em relação aos times de tecnologia e desenvolvimento. Os cortes desta segunda seriam, então, para equilibrar a quantidade de cada departamento. Não há detalhes sobre o número de pessoas, mas acredita-se que são também em montante massivo.

Quando Musk assumiu a empresa, o Twitter contabilizava mais de 7 mil empregados até o final de outubro, quando Musk assumiu o comando da empresa. Desde então, os cortes foram ininterruptos, semana a semana, e, atualmente, um levantamento interno da companhia lista 2.750 colaboradores — ou seja, 40% do contigente original.

Segundo a Bloomberg, que diz ter uma cópia do comunicado, os funcionários foram avisados sobre o corte por e-mail, em uma mensagem enviada para muitos ainda no domingo (21) à noite. "Após uma revisão de nossa força de trabalho, identificamos papeis na nossa estrutura organizacional que não são mais necessários. Hoje é o seu último dia trabalhando na empresa", seria o conteúdo, segundo o veículo.

Ainda não se sabe direito como todos esses cortes vão impactar no próprio desempenho da plataforma, na manutenção do próprio funcionamento, no lançamento de novas funcionalidades ou mesmo nos negócios. Mas, mesmo na primeira de semana de cortes, as equipes estavam preocupadas com a moderação e curadorias das trends, assim como o cronograma de updates e chegada de novos recursos.

Por enquanto, tudo segue bastante turbulento e incerto, o que está até levando a uma debandada de usuários para outras redes sociais, incluindo o Koo. O jeito é aguardar para ver até onde isso tudo vai chegar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: