Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,81
    -0,86 (-1,37%)
     
  • OURO

    1.784,20
    +5,80 (+0,33%)
     
  • BTC-USD

    54.591,22
    -1.466,30 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.243,42
    +9,00 (+0,73%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.893,01
    +33,14 (+0,48%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.767,00
    -27,25 (-0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6700
    -0,0325 (-0,48%)
     

Twitter multado na Rússia por se recusar a excluir mensagens que incitaram manifestações

·1 minuto de leitura
Logo do Twitter

O Twitter foi condenado, nesta sexta-feira (2), na Rússia a três multas, totalizando aproximadamente US$ 116.000, por não suprimir mensagens convocando manifestações da oposição.

As autoridades russas denunciaram a recusa de várias redes sociais estrangeiras em suprimir essas convocatórias em apoio ao principal opositor russo, Alexei Navalny, quando ele foi preso.

A agência reguladora da internet, Roskomnadzor, pediu no mês passado aos tribunais russos que impusessem sanções.

Um tribunal de Moscou decidiu nesta sexta-feira que o Twitter era culpado de ter rejeitado a supressão de conteúdo "ilegal", em três casos diferentes, pelos quais foi condenado a três multas, no valor total de 8,9 milhões de rublos (cerca de 116.000 dólares), de acordo com a agência de imprensa pública RIA Novosti.

Contactado pela AFP, o Twitter não quis comentar.

As autoridades russas também anunciaram em março que "desaceleraram" a operação da rede e ameaçaram bloqueá-la em todo o país.

De acordo com Moscou, o Twitter não suprimiu mensagens incitando menores ao suicídio, ou que contenham pornografia infantil ou informações sobre o uso de drogas.

A empresa americana rejeitou essas acusações e declarou-se "muito preocupada" com as "tentativas de bloquear e sufocar conversas públicas online".

Moscou avisou que está preparada para interromper o serviço do Twitter em meados de abril se a rede não cumprir suas exigências.

mp/alf/jz/es/ap