Mercado abrirá em 6 h 46 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.871,10
    +4,60 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    34.290,69
    -371,93 (-1,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    678,44
    -22,18 (-3,17%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    30.012,19
    +369,91 (+1,25%)
     
  • NIKKEI

    28.771,20
    +137,74 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    13.380,25
    +86,00 (+0,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    -0,0809 (-1,24%)
     

Twitter mira podcasts e confirma compra do aplicativo Breaker

Felipe Ribeiro
·1 minuto de leitura

O Twitter escancara sua ideia de entrar no mercado de podcasts ao anunciar oficialmente a aquisição do aplicativo Breaker, uma das plataformas mais consolidadas neste segmento. Esse é o segundo grande anúncio recente da rede social, que há algumas semanas fechou a compra do app Squad para competir com o Zoom.

De acordo com o CEO do Breaker, Erik Berlin, a empresa se junta ao Twitter para melhorar as experiências de áudio dentro do microblog. O aplicativo, que ganhou notoriedade em 2016, era visto como um feed de áudio, reunindo muitos podcasts em sua plataforma. Uma mescla do que ambos oferecem pode ser o que veremos no Twitter em um futuro próximo.

A CTO do Breaker, Leah Culver, também se pronunciou sobre o negócio, afirmando que, agora, fará parte do Twitter Spaces, um novo produto do Twitter que permitirá que as pessoas façam publicações por áudio e também conversem no privado desse modo. Esse sistema, aliás, está em fase beta desde dezembro.

Essa aquisição do Breaker por parte do Twitter se alinha com outra movimentação da empresa: uma parceria com o serviço de cloud computing da Amazon, o Amazon Web Services. Isso indica que, em breve, possamos ver uma ofensiva mais clara da companhia nesse segmento que não para de crescer no mercado de entretenimento, com uma provável hospedagem de conteúdos com áudio.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: