Mercado fechado

Twitter marca dois tweets de Donald Trump como “potencialmente enganosos”

Wagner Wakka

O Twitter rotulou pela primeira vez duas publicações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como “potencialmente enganosas”. Os tuítes ganham um indicador desse tipo quando a rede social os reconhece como uma notícia checada que pode conter informações incorretas.

O caso é relativo a postagens de Trump sobre a iniciativa da Califórnia em criar um projeto de votação com cédulas enviadas por correio, por conta do isolamento social. Para o presidente, o sistema “será nada menos que substancialmente fraudulento” e poderia criar uma “eleição fraudada”. A proposta ainda é considerada polêmica e rejeitada pelos republicanos.

Publicação de Trump que recebeu marca como enganoso (Foto: Reprodução/Twitter)

De acordo com o Twitter, a publicação ganhou o indicador por “conter informações potencialmente enganosas sobre o processo de votação e foi marcada para oferecer contexto adicional sobre as cédulas enviadas pelo correio”.

Dessa forma, o tuíte de Trump recebeu publicamente uma marca com o símbolo de exclamação (!) e os dizeres: “cheque os fatos sobre as cédulas por correio”, com um link que leva para reportagens sobre o assunto.

“Trump falsamente disse que as cédulas por correio levariam para uma ‘eleição fraudada’. Entretanto, nossos checadores disseram que não há evidências de que as cédulas por correio possam ser ligadas a fraudes do votante”, explicou a rede social.

Em resposta, Trump reclamou sobre a indicação em seu perfil. “O Twitter está interferindo as eleições presidenciais de 2020. Eles estão dizendo que meu posicionamento sobre as cédulas por correio, as quais levam a uma corrupção massiva e fraude, está incorreto, baseado em checagem de fatos pela CNN e Washington Post, da Amazon…. O Twitter está limitando a liberdade de expressão e eu, como presidente, não vou deixar isso acontecer”.


Caça às fake news

No início de maio, o Twitter informou que começaria a rotular mensagens falsas na plataforma. Contudo, desde o dia 11, a rede social apresentou falhas relacionadas a este mecanismo. Usuários começaram a notar que o sistema de identificação da rede social rotulava matérias que não continham informações falsas sobre a COVID-19, incluindo links de sites renomados, como Reuters, BBC, Wired e Voice of America. Depois disso, o Twitter informou que a plataforma estava contando com checadores de fatos para refinar esse sistema.


Fonte: Canaltech