Mercado abrirá em 16 mins
  • BOVESPA

    124.612,03
    -1.391,83 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.910,53
    +12,74 (+0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,14
    +0,49 (+0,68%)
     
  • OURO

    1.798,20
    -1,60 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    40.211,91
    +1.902,75 (+4,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    942,75
    +66,52 (+7,59%)
     
  • S&P500

    4.401,46
    -20,84 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.058,52
    -85,79 (-0,24%)
     
  • FTSE

    7.006,65
    +10,57 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    15.012,50
    +64,75 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0909
    -0,0175 (-0,29%)
     

Twitter, Facebook, Google e TikTok prometem mais proteção para mulheres online

·2 minuto de leitura
Twitter, Facebook, Google e TikTok prometem mais proteção para mulheres online
Twitter, Facebook, Google e TikTok prometem mais proteção para mulheres online

Durante o Fórum Geração Igualdade da ONU na quinta-feira, Twitter, Facebook, Google e TikTok assumiram o compromisso de melhorar a proteção para mulheres em suas plataformas online. O compromisso veio depois de um ano de análise de violência e abuso baseados em gênero da World Wide Web Foundation (WWWF), que mostrou que as mulheres querem ter mais controle sobre quem pode responder e comentar seus posts, além de mais escolha sobre o que elas veem nas redes sociais.

As companhias prometeram “construir modos melhores para mulheres fazerem a curadoria de sua segurança online”, como opções sobre quem pode ver, compartilhar e comentar em posts, e acesso a outras ferramentas de segurança, segundo a WWWF. O objetivo é “reduzir o fardo sobre as mulheres reduzindo proativamente a quantidade de abuso que elas veem” nas redes sociais, segundo o documento.

Twitter, Facebook e TikTok se pronunciam

Vijaya Gadde, chefe de políticas públicas e segurança do Twitter, escreveu um e-mail ao The Verge sobre o compromisso, dizendo que manter os usuários da plataforma protegidos de abuso é uma das prioridades da rede social. “Enquanto tomamos passos recentemente para dar às pessoas mais controle para gerenciar sua segurança, sabemos que muito trabalho ainda precisa ser feito. Comportamento abusivo não tem lugar no nosso serviço. Isso prejudica os alvos, a saúde do diálogo e o papel que o Twitter tem na expressão e troca de ideias, onde as pessoas, não importa suas visões ou perspectivas, podem ser ouvidas”, diz Gadde.

Antigone Davis, chefe de segurança global do Facebook, escreveu por e-mail: “Para manter mulheres protegidas de abuso, exploração e assédio online e offline, atualizamos nossas políticas, ferramentas e tecnologias regularmente, e consultamos especialistas do mundo todo, incluindo 200 organizações de proteção às mulheres”. O Facebook também está trabalhando em uma plataforma especial para garantir a segurança de mulheres.

Já Tara Wadhwa, diretora de políticas do TikTok US, explicou os planos da plataforma para proteger mulheres em um post no blog da companhia. “Nos próximos meses, vamos começar a desenvolver e testar várias mudanças no nosso produto para abordar essas prioridades, e ajudar o TikTok a ser um lugar ainda mais seguro para mulheres.” O Google não respondeu aos pedidos de comentário do The Verge sobre o compromisso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos