Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.883,10
    +830,32 (+0,66%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.890,21
    +621,76 (+1,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,16
    +0,09 (+0,12%)
     
  • OURO

    1.797,20
    -4,60 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    38.399,62
    +3.980,09 (+11,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    911,74
    -3,75 (-0,41%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.025,43
    -2,15 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    26.192,32
    -1.129,66 (-4,13%)
     
  • NIKKEI

    27.833,29
    +285,29 (+1,04%)
     
  • NASDAQ

    15.116,25
    +18,25 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1103
    -0,0113 (-0,18%)
     

Twitter estuda novas ferramentas de privacidade e anti-assédio

·2 minuto de leitura
Twitter estuda novas ferramentas de privacidade e anti-assédio
Twitter estuda novas ferramentas de privacidade e anti-assédio

Twitter Blue, Super Follows, Spaces pagos, e a eventual chegada de reações são apenas algumas das futuras novidades da rede social em questão. Vem sendo um ano agitado para a plataforma, que na semana passada compartilhou alguns estudos que executa visando tornar possível a personalização da entrega de tweets. Hoje, mais uma funcionária do Twitter compartilhou ideias internas da empresa — desta vez focadas em privacidade.

Da área de experiência de uso do usuário, a designer Lena Emara usou seu perfil pessoal para apresentar telas conceituais de funções que são estudadas internamente. A primeira delas é relativamente simples — um aviso no feed perguntando se o usuário deseja rever os controles de entrega de conteúdo. Basicamente se ele deseja alternar entre uma conta pública, ou trancada.

Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter
Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter

O segundo recurso em estudo no Twitter focado em privacidade envolve um alerta ao responder tweets. Este é voltado para quem tem o perfil trancado, ou seja, só seguidores confirmados podem acessar suas publicações. Quando o usuário tentar responder uma conta que não o segue, surgiria um aviso de que a pessoa não poderá ler a resposta. Na mesma interface o usuário seria convidado a mudar as configurações de privacidade para abrir seu perfil.

Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter
Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter
De qual conta estou escrevendo?

O Twitter sabe que seus usuários gostam de manter várias contas — a interface deixa evidente que para a plataforma isto não é um problema. Nos apps, porém, nem sempre é fácil verificar em qual perfil estamos quando a caixa de publicação já está aberta. Visando evitar equívocos e gafes, a rede social poderia passar a exibir um cabeçalho com o nome de usuário e a foto da conta em uso no momento.

Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter
Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter
Ferramenta anti-assédio

Mais um estudo do Twitter envolvendo aumentar as proteções de privacidade envolve uma ferramenta anti-assédio. Pode acontecer de uma publicação sua viralizar — e não agradar a todos. Evitando a exposição negativa, o usuário poderia ser notificado quando usuários mal-intencionados buscarem pelo seu nome, e dependendo do volume da procura, a rede social notificaria a conta.

Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter
Imagem conceitual de possíveis novas ferramentas de controle de privacidade do Twitter

Com isso, seria possível definir que seu perfil fique indisponível nas buscas, ou mesmo impedir que ele apareça nas recomendações da plataforma. Atualmente, é possível impedir buscas por e-mails e número de telefone. Os novos filtros de busca poderiam ser ativados por um período variável de tempo, sem que o usuário precise desativá-los manualmente — se assim o desejar.

Vale observar que os estudos foram compartilhados como forma da rede social coletar opiniões e decidir se os leva adiante ou não. Isto não significa o compromisso do Twitter com estas possibilidades de controle de privacidade. A plataforma parece estar se antecipando a possíveis vazamentos — o que pode deixar alguns insiders um tanto frustrados.

Via Gadgets NDTV

Imagem: Michael Vi/Shutterstock

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos