Mercado fechará em 6 h 20 min

Twitter está testando reações com emojis para posts, revela pesquisadora

Rafael Arbulu

Uma das reclamações de usuários do Twitter é a falta de opções mais representativas de reação a um tuíte. Convenhamos, você não “curtiu” uma postagem sobre violência racial, apesar de essa ser a única possibilidade na rede social co-fundada por Jack Dorsey. Mas de acordo com uma especialista em engenharia reversa de aplicativos móveis, isso está em vias de mudar.

Segundo Jane Manchun Wong, pesquisadora tecnológica e uma fonte cada vez mais popular de funções em teste para redes sociais, o Twitter está testando uma reformulação na forma como você reage a certos posts, permitindo o uso de emojis e seguindo um caminho já trilhado pelo rival Facebook, ainda que com algumas diferenças.

No caso do Facebook, a rede social de Mark Zuckerberg criou desenhos e funções específicas para simbolizar as reações do usuário — daí que vem o “Grr”, “HaHa” e outros. Para o Twitter, porém, os emojis serão aqueles que você já vê em seu teclado. Wong identificou que, atualmente, a rede social de microblogs vem trabalhando com seis opções:

  1. Sorriso
  2. 100%
  3. Proibido
  4. Chorando de Rir
  5. Choque/Surpresa
  6. Obrigado
Reações com emojis? Segundo pesquisadora, Twitter vem testando a ferramenta (Imagem: Reprodução/Jane Manchun Wong, via Twitter)

Além disso, a pesquisa feita por Wong também indica que uma sétima possibilidade — “Reagir com um Fleet” — também será possível, em referência aos “stories” do Twitter (a função “Fleets” foi inaugurada em março de 2020 no Brasil). Mas não se sabe se todas essas reações seriam distribuídas simultaneamente ou se haveria algum espaço entre os emojis e os “fleets”.

No que tange a datas, também não há certeza alguma: normalmente, o Twitter disponibiliza novos recursos para um ou dois países, em um teste controlado para medir a receptividade do público, antes de liberar o material globalmente em um ou dois meses depois. Considerando que, em tese, a rede não está nem na fase de testes controlados, é provável que os emojis ainda vão demorar um pouco a reagirem a seus tuítes.

Segundo o The Verge, o Twitter já tentou algo similar no passado, em 2015. Mas considerando a onda de protestos pelos quais passam os Estados Unidos (e outros países do mundo) neste momento, a implementação de uma reação mais detalhada a tuítes pode vir bem a calhar.

Fonte: Canaltech