Mercado abrirá em 5 h 40 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,85
    -1,65 (-2,10%)
     
  • OURO

    1.627,40
    -8,80 (-0,54%)
     
  • BTC-USD

    18.681,90
    -1.507,08 (-7,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    426,76
    -32,38 (-7,05%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.931,37
    -53,22 (-0,76%)
     
  • HANG SENG

    17.320,78
    -539,53 (-3,02%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.211,75
    -122,00 (-1,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1186
    -0,0413 (-0,80%)
     

Twitter desistiu de criar um 'OnlyFans' por receio de propagar pornografia

Twitter desistiu criar um “OnlyFans” por receio de propagar a pronografia infantil
Twitter desistiu criar um “OnlyFans” por receio de propagar a pronografia infantil
  • O Twitter estava preparado para começar a comercializar assinaturas pornográficas no estilo OnlyFans;

  • O recurso foi cancelado após uma equipe de cibersegurança apontar falhas na plataforma;

  • O Twitter seria incapaz de detectar e derrubar consistentemente pornografia infantil e não consensual.

O Twitter estava preparado para começar a comercializar assinaturas pornográficas no estilo OnlyFans em uma tentativa de aumentar sua receita, mas a implantação do recurso foi suspensa no início deste ano devido a preocupações com pornografia infantil, , de acordo com uma reportagem do The Verge.

O site de mídia social, que está travando uma batalha judicial com Elon Musk , já permite que os usuários publiquem pornografia, mas não lhes dá nenhuma maneira de monetizá-la. O Twitter criou e considerou lançar um recurso de assinatura do tipo OnlyFans que permitiria que estrelas pornô vendessem fotos e vídeos de nudez.

A decisão teria sido controversa e arriscaria alienar os anunciantes, mas também poderia ter ajudado o Twitter a se diferenciar de outros sites de mídia social.

De acordo com documentos vazados obtidos pelo The Verge, o Twitter chegou a reunir uma equipe de cibersegurança de 84 pessoas para “testar sob pressão a decisão de permitir que criadores adultos monetizem na plataforma, concentrando-se especificamente em como seria para o Twitter fazer isso com segurança e responsabilidade”.

A equipe supostamente encontrou uma série de falhas perturbadoras no plano do Twitter, incluindo que o site é incapaz de detectar e derrubar consistentemente pornografia infantil e não consensual.

“O Twitter não pode detectar com precisão a exploração sexual infantil e nudez não consensual em escala”, escreveu o“Red Team” (como são conhecidas as equipes de cibersegurança para este fim), acrescentando que o Twitter não tinha as ferramentas para verificar se os artistas e consumidores pornográficos eram maiores de idade.

O lançamento de um serviço de assinatura de pornografia pioraria os riscos, segundo a equipe, porque os vendedores de obscenidades seriam incentivados a inundar a plataforma e grande parte da pornografia ficaria escondida atrás de um paywall.

Após o relatório da Red Team, o Twitter decidiu colocar o plano no gelo até que o site pudesse implementar mais medidas de saúde e segurança, de acordo com The Verge.